Gerdau vai suspender contrato de funcionários por cinco meses em Charqueadas

Lay-off deve atingir cem trabalhadores e é usado para reduzir a produção sem demitir

Por Portal de Notícias 06/11/2019 - 11:20 hs
Foto: Banco de Imagens
Gerdau vai suspender contrato de funcionários por cinco meses em Charqueadas
Fábrica de Charqueadas tem cerca de 700 funcionários

A Gerdau vai colocar em lay-off até cem trabalhadores da fábrica de Charqueadas os próximos meses. Após muita resistência, a decisão foi aprovada pelo Sindicato dos Metalúrgicos em assembleia realizada na última sexta-feira (1º/11) e deve ser implementada pelos próximos cinco meses.

O lay-off é a suspensão temporária dos contratos de trabalho, usado pelas empresas para reduzir a produção sem demitir funcionários. A proposta havia sido apresentada em outubro e, em uma primeira assembleia, não houve aprovação. A concordância veio na segunda tentativa e foi aprovada na sexta-feira.
— A empresa alegou que haveria demissões, caso o lay-off não fosse autorizado. A ideia é que a interrupção ocorra já a partir dos próximos meses. Começando, no máximo, em janeiro — disse o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Charqueadas, Vilson Santos da Silva.
----------------
LEIA TAMBÉM:
Gerdau propõe suspensão de contrato de funcionários em Charqueadas
Sindicato promove protesto contra lay-off da Gerdau em Charqueadas
Sindimetal promove novo manifesto contra lay-off da Gerdau em Charqueadas
----------------
CONTRAPONTO

A empresa justificou a medida por meio de nota,  ainda em outubro:
"Esse programa busca preservar os empregos existentes. Essa decisão se deveu aos planos da indústria automobilística no Brasil, principal consumidor de aços especiais, de conceder férias coletivas e buscar a redução de seus estoques, principalmente em razão da crise econômica argentina. O atendimento aos clientes se manterá inalterado”.
A fábrica de Charqueadas tem cerca de 700 trabalhadores. A empresa produz aços especiais e o principal cliente é a indústria automobilística. A última vez que a unidade teve layoff foi em 2015.