Foco e disciplina: charqueadense Marlon Rio concorre ao título de doutor mais jovem do Brasil

Tudo é uma questão de foco, disciplina e pesquisa

Por Portal de Notícias 03/01/2019 - 20:55 hs
Foto: Arquivo pessoal
Foco e disciplina: charqueadense Marlon Rio concorre ao título de doutor mais jovem do Brasil
Marlon Rio está prestes a conquistar o título de doutor mais jovem do Brasil

Carla Miller Trainini

Nas múltiplas inteligências, segundo a psicóloga Juliana da Rosa Linassi, tudo é uma questão de foco, disciplina e pesquisa, o que acaba fazendo com que grandes mentalidades se evidenciem de alguma maneira. O então dito “prodígio” se destaca em diferentes áreas por sua busca incessante pela perfeição.
- Quando focamos em alguma coisa e nos tornamos um pesquisador daquela questão, os ditos gênios acabam se sobressaindo. Tudo é uma questão de foco, disciplina e pesquisa. O desenvolvimento de um dom não tem fim e nem limite. Inicia por um determinado interesse e nunca mais para, acontece automaticamente - explica.
Exatamente como aconteceu com Marlon Machado Oliveira Rio, que desde muito cedo foi fascinado pela
escrita e pela leitura. Natural de Charqueadas, hoje aos 24 anos está prestes a conquistar o título de doutor mais jovem do Brasil, que atualmente é de um piauiense que concluiu seu doutorado aos 26 anos.
- Com relação à minha tese de doutorado, a previsão de apresentação é em meados de maio ou junho de 2019. Encerrei no início de novembro a parte prática do projeto, com alunos da escola Otávio Reis, em Charqueadas, agora é preciso desenvolver a parte escrita. Por este motivo a previsão de formatura no doutorado é ao final do primeiro semestre de 2019, quando estarei com 25 anos - explica Marlon, que aniversaria em fevereiro.



MENINO PRODÍGIO
Marlon sempre teve grande facilidade em navegar pela área de Letras, Linguística e idiomas. Nos tempos de colégio, ajudava os colegas explicando de forma mais simples o conteúdo apresentado em sala de aula. Por conta da didática diferenciada de um professor de História, com mais prática e incentivo à pesquisa e menos conteúdo expositivo, desenvolveu muito sua habilidade de comunicação.
- Como sempre tive facilidade em aprender o conteúdo e mais ainda em repassar, fui convidado pela escola a pular um nível, indo do 2º para o 4º ano quando eu tinha apenas oito anos - salienta Marlon, que é graduado e mestre em Letras pela Pontifícia Universidade
do Rio Grande do Sul (PUCRS) e faz doutorado em Linguística Aplicada, na Universidade do Vale dos Sinos (Unisinos).



FASCÍNIO PELAS LETRAS

Marlon ingressou na PUCRS por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em 2011, aos 17 anos. Conquistou uma bolsa ProUni com pontuação de 680, 100 a mais do que a média daquele ano. Depois de um mês, buscou estágio como professor de Inglês em uma escola pública em Charqueadas e foi contratado para os turnos da manhã e tarde, enquanto cursava a Universidade, à noite.
Formado e laureado em 2014, conquistou uma bolsa para mestrado em Linguística na PUCRS em 2015. Ao mesmo tempo, fazia especialização no Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul), em Charqueadas, e seguia dando aulas.
Mas foi durante a graduação que ficou claro que Letras é muito mais que leitura, escrita e tradução. Para ele, a escrita e a leitura são uma forma de expressar um ponto de vista a respeito do mundo.
- Podemos atuar em qualquer área, na Psicologia, com pensamento e linguagem; na Comunicação; no Direito, com argumentação. A linguagem é mais complexa que simplesmente a comunicação entre uma pessoa que fala e outra que escuta. Por meio dessas ferramentas podemos mostrar outras maneiras de pensar e entender a vida, o cotidiano, e não apenas uma rotina pacata de fazer tudo sempre da mesma maneira. Podemos fazer coisas diferentes estando no mesmo lugar - garante.



PROJETO DE DOUTORADO

O projeto intitulado “My city – my world: Introducing Charqueadas worldwide” (Minha cidade – meu mundo: apresentando Charqueadas para o mundo) integrou a pesquisa de doutorado de Marlon, que está concluída e em fase de preparação para ser apresentada.
A ideia principal consistia em trazer a utilização de tecnologias digitais para dentro do espaço da escola pública, cenário que constantemente é tido como inapto para o ensino/aprendizado de língua inglesa, tendo como foco principal a oralidade, que também é tida em muitas literaturas acadêmicas como “a mais difícil de ser dominada”.
De acordo com ele, o aprendiz de uma língua adicional precisa saber fazer uso da correta pronúncia das palavras, do seu ritmo dentro de uma frase, da ênfase que colocará para uma palavra em comparação à outra.
- O aprendiz precisa utilizar palavras adequadas a quem está falando, trabalhar com o curto tempo usualmente que possui para desenvolver seu discurso e suas ideias, adequar a sua voz e mensagem com quem está falando, bem como também compreender a pessoa a quem dirige sua fala e, polidamente, adaptar-se à situação de conversação na qual está inserido - explica.



USO DA TECNOLOGIA

Nas últimas décadas o uso das tecnologias digitais - antes comumente utilizadas para fins trabalhistas e profissionais -, assumiu outro papel dentro do espaço escolar. Trouxe modernidade, criatividade e uma infinidade de novas possibilidades a serem trabalhadas em sala de aula. Com isso, possibilita a transformação da realidade que antes majoritariamente era centrada na figura do professor como detentor ímpar do conhecimento.
- O aluno, neste caso, também possui uma voz ativa em sua aprendizagem, bem como é possível poder atuar tanto presencialmente (dentro do espaço escolar) quanto fora da sala de aula, graças às facilidades oportunizadas pelas tecnologias atuais - destaca o doutorando sobre o uso da tecnologia em benefício do aluno.
Por conta disso, o projeto teve grande parte desenvolvida com o auxílio de diversas tecnologias digitais, como vídeos online, aplicativos de smartphones, mensagens de voz, de vídeo, imagens online, propagandas online, entre outras, que aprimorariam essencialmente a oralidade em língua inglesa.
- Aos alunos foram apresentadas tarefas, nas quais eles precisavam falar sobre os lugares de Charqueadas, sua localização e características da cidade em que moram, além das direções para se locomover, bem como pequenas características do seu dia-a-dia - explica Marlon, que concluiu seu projeto no início de novembro e agora aguarda as novas fases do processo para, enfim, apresentar sua tese e poder conquistar o título de doutor mais jovem do Brasil.

O QUE ELE DISSE
 “Com o projeto My city – my world: Introducing Charqueadas worldwide (Minha cidade – meu mundo: apresentando Charqueadas para o mundo) pude certificar-me de que inovadoras, complexas e significativas práticas pedagógicas de ensino de línguas adicionais podem ser realizadas dentro da escola pública, trazendo consigo novas possibilidades para um ensino mais híbrido, colaborativo, social, significativo, emancipador e humano”.

Marlon Machado Oliveira Rio, doutorando em Linguística Aplicada, pela Unisinos.



MARLON MACHADO OLIVEIRA RIO


- Tem 24 anos
- É filho de José Santos Rio e Neli Machado Oliveira Rio
- Doutorando em Linguística Aplicada na Universidade Vale dos Sinos (UNISINOS) e candidato a ser considerado o mais jovem doutor na história do Brasil, quando se formará, aos 25 anos.
- Mestre em Letras (Linguística) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), é especialista em Educação e Contemporaneidade pelo Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSUL-RS).
- Licenciado e laureado em Letras-Inglês também pela PUCRS, hoje é estudante do curso de Pós-Graduação em Metodologia para o Ensino Superior e EAD pela Faculdade de Educação da Lapa (FAEL-USA) e estudante do VI semestre do curso de graduação em Letras-Espanhol pela mesma Faculdade.
- É autor de livros, artigos e capítulos de livros com foco no ensino e aprendizagem de língua inglesa.
- Integra o grupo de pesquisa “A ação colaborativa e as tarefas pedagógicas no ensino e na aprendizagem de línguas estrangeiras”, na Unisinos, desenvolvendo pesquisas na área de ensino e aprendizagem de línguas estrangeiras.
- Possui experiência no programa de intercâmbio internacional na China (TOP CHINA - Santander), na Universidade de Jiao Tong em Xangai, onde lecionou aulas de língua inglesa para alunos chineses de nível avançado.
- Sua experiência também inclui aprendizagem de línguas adicionais além da língua inglesa e espanhola (alemão, italiano, francês, mandarim, japonês, russo e hebraico).
- É tradutor (Inglês-Português) oficial do grupo Coursera (em parceria com a Fundação Lemann), traduzindo cursos online de renomadas universidades com cursos de excelência e qualidade a alcance mundial.
- É editor e revisor das revistas Aviation in Focus, pela PUCRS; revista Bem Legal, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); revista Brazilian English Language Teaching (BELT), pela PUCRS; do Brazilian Journal of Biology, pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRP) e do Ethical Lingua: Journal of Language Teaching and Literature, da Universitas Crokoaminoto, na Indonésia.
- Possui experiência em Iniciação Científica na área de Bilinguismo e Neuropsicolínguistica, em especial na área de ensino e aprendizagem de língua inglesa e no uso de tecnologias em aulas de inglês em ambientes presencial e online.
- Foi professor de Língua Inglesa no curso Pronatec, oferecido pelo Governo Federal, tendo também experiência em escola pública municipal por 2 anos, posteriormente sendo professor de língua inglesa por quatro anos na escola CNA Idiomas, além de exercer a função de coordenador pedagógico e professor de língua inglesa na Academia de Inglês Washington, em Charqueadas.
- Atualmente é professor de língua inglesa no colégio Batista, em Porto Alegre, e professor particular de Alemão (níveis básico e intermediário), Espanhol (níveis básico e intermediário) e de Inglês para negócios (Business English) para gestores, gerentes, coordenadores e para o diretor da empresa internacional GKN Driveline, na filial de Charqueadas.


zOOm no potencial do ser humano:
>
Múltiplas inteligências: uma questão de incentivo às potencialidades do ser humano
> Marina Cabral e o futebol: de Charqueadas para os Estados Unidos
> Incentivo familiar: jeronimense Lara Matte aos 11 anos se destaca no mundo musical