Múltiplas inteligências: uma questão de incentivo às potencialidades do ser humano

O que define um gênio, afinal? O que eles fazem e sentem para desenvolver sua genialidade? Será que sempre foram superdotados?

Por Portal de Notícias 03/01/2019 - 21:04 hs
Foto: Montagem / Arquivo Pessoal
Múltiplas inteligências: uma questão de incentivo às potencialidades do ser humano
Marina Cabral, Marlon Rio e Lara Matte

Carla Miller Trainini

Nem todo gênio nasce gênio. Existem pessoas que nascem com algum tipo de vocação ou habilidade que, se aproveitada adequadamente, conseguem alcançar bons resultados. No entanto, nem sempre isso se torna possível, já que muitas vezes tais potenciais acabam não sendo explorados pela maneira com que as escolas conduzem a questão da aprendizagem, não utilizando as capacidades individuais.
O senso comum identifica que “gênio” é aquela pessoa que tira notas excelentes na escola. Porém, a história nos mostra que a genialidade vai muito além. Desmistificando esta equivocada definição, Howard Gardner, psicólogo da Universidade de Harvard, desenvolveu um estudo a partir da década de 1980, baseado na teoria das múltiplas inteligências, feito por uma equipe de investigadores liderada por ele e que buscava analisar e descrever melhor o conceito de inteligência.
Para Gardner, que ganhou em 2011 o prêmio “Príncipe de Astúrias” por sua contribuição à Psicologia e à Educação, as múltiplas inteligências podem ser definidas em oito tipos. São eles: linguística, musical, espacial, corporal-cinestésica, intrapessoal, interpessoal, naturalista e existencial, cada um a ser desenvolvido de acordo com a aptidão identificada no ser humano.
Mas, então, o que define um gênio, afinal? O que eles fazem e sentem para desenvolver sua genialidade? Será que sempre foram superdotados?
O zOOm desta semana traz três exemplos de diferentes genialidades: Lara Matte, Marlon Rio e Marina Cabral.

Confira a história de vida de cada um nos links abaixo:
> Foco e disciplina: charqueadense Marlon Rio concorre ao título de doutor mais jovem do Brasil
> Marina Cabral e o futebol: de Charqueadas para os Estados Unidos
> Incentivo familiar: jeronimense Lara Matte aos 11 anos se destaca no mundo musical