Superando dificuldades: da descoberta de deficiências ao ingresso no mercado de trabalho

Conheça a trajetória do jeronimense Erison Diniz, que não fala e não escuta, mas concluiu o Ensino Médio e conseguiu o primeiro emprego no Hospital São Jerônimo

Por Portal de Notícias 04/07/2019 - 16:35 hs
Foto: Carla Miller Trainini e Arquivo Pessoal
Superando dificuldades: da descoberta de deficiências ao ingresso no mercado de trabalho
Erison trabalha há um mês como auxiliar de farmácia no Hospital São Jerônimo

Carla Miller Trainini


Há um mês, o jovem Erison Diniz da Silva, que não fala e nem escuta desde o nascimento, conseguiu realizar o sonho de entrar para o mercado de trabalho. Hoje, aos 22 anos, ele comemora as novas amizades que conquistou graças à oportunidade encontrada no Hospital São Jerônimo (HSJ), onde trabalha desde junho como auxiliar de farmácia durante oito horas diárias, de segunda a sexta-feira.
Entre idas e vindas a médicos especialistas e a procura por escolas que tivessem profissionais adequados a recebê-lo em São Jerônimo e Charqueadas, no final de 2018 ele conseguiu concluir o Ensino Médio no Colégio Concórdia, em Porto Alegre. Agora, passado um mês de experiência, faz planos com o primeiro salário recebido nesta quarta-feira (3), quando pagou o almoço em família para comemorar (foto abaixo).



- Estou gostando muito e quero continuar trabalhando no hospital. Nesse primeiro mês passei por muitos desafios, como não chegar atrasado, por exemplo, e aprender a desenvolver a minha função. É fácil, não tive muitas dificuldades, mas todo dia é uma novidade. A relação com os colegas é boa, eles me ajudam o tempo todo. Nos comunicamos por gestos e tem um colega que também tem as mesmas deficiências que eu, então ele ajuda bastante – comenta.
Segundo sua mãe, Rosa Helena Diniz Barcelos, as contas das despesas estão prontas e a partir de agora ele passará a colaborar com os gastos em remédios e as consultas com a psicóloga. Além disso, quer guardar dinheiro na poupança e faz planos de comprar uma bicicleta para se deslocar até o trabalho. O próximo objetivo é fazer a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), que ele garante alcançar até o final do ano.
- É importante para ele ter noção do valor que recebe. São responsabilidades que combinamos para que ele possa continuar evoluindo. Eles precisam de uma oportunidade de emprego, saem crus da escola. O Erison me dizia que estava cansado de ficar em casa, só na TV e vídeo game, que queria ter o dinheiro dele, e isso tudo é muito importante para o seu desenvolvimento. Eu não sosseguei até conseguir encontrar uma vaga para ele poder conhecer o mercado de trabalho e ter suas responsabilidades – relata a mãe.

SONHO DO PRIMEIRO EMPREGO