Padaria Felipão de Ouro: 15 anos de sucesso em Charqueadas

Glademir Steigleder (Gão): “Amo o que eu faço e estudei muito sobre panificação por amor a essa arte”

Por Portal de Notícias 13/12/2019 - 11:16 hs
Foto: Divulgação
Padaria Felipão de Ouro: 15 anos de sucesso em Charqueadas
Empresário e colaboradores receberam homenagem da Câmara de Vereadores

A Padaria Felipão de Ouro, que no mês de março inaugurou sua primeira filial, recebeu uma homenagem da Câmara de Vereadores de Charquedas, no dia 28 de novembro, pelos seus 15 anos de sucesso.
--------------
LEIA TAMBÉM
COM VÍDEO | Padaria e Confeitaria Feli-Pão de Ouro inaugura a 1ª filial em Charqueadas
--------------
 O Portal de Notícias aproveitou a oportunidade para ter uma conversa mais descontraída com o mentor deste projeto, o empresário Glademir Steigleder, o popular Gão. Confira:

Qual é o sentimento de ver uma empresa nascer minúscula e se transformar em uma referência no setor aqui na cidade de Charqueadas?
- São muitos. É de sonho realizado, é de orgulho e é de muita responsabilidade de manter o nível de qualidade e continuar crescendo.

E essa homenagem, esse reconhecimento?
-
Os méritos são todos da nossa equipe de trabalho. Eles é que fazem acontecer e alcançaram todo esse sucesso. Os méritos dos diretores são de manter tantos profissionais de qualidade juntos e de dar boas condições para eles desenvolverem seu trabalho.

Qual é o segredo de montar uma equipe vencedora?
- Bem, nosso critério é primeiro contratar o cidadão, aquela pessoa de bem e com boas referências e, em segundo plano, contratar o profissional. Hoje temos uma equipe numerosa e qualificada e treinando jovens sem experiência, aproveitando o know-how dos mais antigos.
E isso vale também para o pessoal de vendas. Temos nove meninas na equipe e apenas uma já foi contratada com experiência. As outras foram treinadas pela Beti com a ajuda das mais antigas.

E a opção por não trabalhar aos domingos?
- Esse é um tema polêmico. Abrimos mão do melhor dia de faturamento da empresa para priorizar o descanso coletivo da equipe. E vou te dizer: foi um salto de qualidade que tivemos. Desde 2008 não abrimos aos domingos e, a partir daí, nossa equipe tem mantido uma base muito forte. Temos cinco pessoas com mais de dez anos de empresa e outras muito perto de atingir essa marca. Domingo é o dia da família, dia de recarregar as baterias para enfrentar uma nova semana. Acredito que as pessoas fazem compras no domingo muito mais por comodidade do que por necessidade.

E a aposentadoria?
- Eu digo sempre que tenho a nítida sensação que vou morrer duas vezes: a primeira será quando eu não tiver mais condições físicas ou mentais de trabalhar nas nossas padarias, e a segunda será o destino final de todos nós. Ainda não consigo me ver longe da Felipão. Amo o que eu faço e estudei muito sobre panificação por amor a essa arte. E onde você faz algo com amor, com certeza vai dar certo. É como na vida pessoal: se você ama alguém de verdade não há dificuldade que não possa ser superada.
Mas eu vou tirando o pé do acelerador aos poucos. Tenho viajado bastante nos últimos anos, deixado o Guilherme e a Giordana irem assumindo aos poucos.

Você disse que estudou panificação. Explica isso melhor para nós?
- Trabalhei durante anos em uma empresa de panificação. Empresa grande, forte e estruturada. Eu era gerente de produção e liderava mais de 100 pessoas. Fiz todos os cursos possíveis, pois não bastava somente a prática, tínhamos que ir na teoria e na parte científica para entender o processo. Tínhamos laboratório próprio para testar a estabilidade e força das farinhas. Foi um aprendizado espetacular, sem precedentes, e me fez um apaixonado pelo ramo. Estou sempre lendo sobre o assunto.

Para terminar, como lidar com a concorrência?
-
Nesses quinze anos, num raio de 1,5 km da nossa matriz, já tivemos 13 concorrentes, inclusive dois em frente à nossa padaria. Digo sempre o mesmo para nossa equipe: não podemos nos preocupar com concorrência porque sempre vamos ter. Temos que nos preocupar em manter nossos produtos com qualidade, em atender bem nossos clientes e seguir com nossa busca incessante  por novas receitas, novos produtos. Testamos, em média, 15 novos produtos todos os meses e estamos permanentemente pesquisando novas matérias-primas e novos equipamentos mais tecnológicos.