Empresários investem no cultivo da oliveira e extração de azeite em Triunfo e Arroio dos Ratos

Em Triunfo, a implantação de uma agroindústria deverá produzir 20 mil litros de azeite por ano

Por Portal de Notícias 02/04/2019 - 15:38 hs
Foto: Banco de Dados
Empresários investem no cultivo da oliveira e extração de azeite em Triunfo e Arroio dos Ratos
O Rio Grande do Sul é o maior produtor de oliveiras do país

O Rio Grande do Sul já é o maior produtor brasileiro de oliveiras e a região Carbonífera já tem as suas primeiras plantas, mais notadamente em Triunfo e Arroio dos Ratos.
Em Triunfo, os empresários Aristides Inácio Vogt e Christian Vogt investem na cultura e pretendem, ainda, implantar uma agroindústria para o processamento das azeitonas e produção do azeite de oliva.
Os Vogt começaram o cultivo no ano de 2016, com a preparação do solo e, em 2017, as primeiras oliveiras foram plantadas. No ano passado, a área plantada foi ampliada e deve chegar até 50 hectares até 2020. No dia da visita do prefeito e do secretário, foram colhidas as primeiras azeitonas do olival, porém as oliveiras começam a produzir em maior quantidade a partir dos quatro anos de idade, aumentando significativamente a produção nos anos seguintes.
De acordo com os empresários, a intenção é de futuramente instalar uma agroindústria para beneficiar e extrair azeite de alta qualidade na propriedade. Embora este olival ainda seja jovem e ainda não esteja em fase de produção, já deu sinais que irá produzir bem e a expectativa é de produzir 20 mil litros de azeite/ano.
O investimento em Triunfo foi decidido a partir de estudos realizados pelos empresários, com apoio da Embrapa, que constataram que o município está dentro do mapeamento realizado para esta cultura. Para alcançar os melhores resultados, foram selecionadas variedades que melhor se adaptam às condições climáticas e de solo, como a Arbrequina e a Koroneiki.
No mês passado, o prefeito Valdair Gabriel Kuhn e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Vasco, conheceram a propriedade na localidade de Boa Vista. O prefeito destaca que o município tem muito a ganhar inserindo o cultivo da oliveira em sua matriz econômica e social, pois o mercado de azeites é muito competitivo. Por isso, colocaram as estruturas do Município à disposição dos empresários para auxiliar na instalação da agroindústria. Segundo eles, este investimento trará grandes benefícios para Triunfo, incluindo a valorização dos agricultores locais. Além disso, a produção de azeite de alta qualidade poderá atrair novos investimentos na produção de azeitonas e processamento na agroindústria a ser instalada, fomentando a cadeia produtiva no município.
Em Arroio dos Ratos, o investimento no cultivo da oliveira é da ex-ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Ellen Gracie Northfleet. No ano passado, ela foi recebida no gabinete do prefeito Luciano Rocha e informou do interesse em realizar investimentos no município, nos setores agrícola e industrial. A ex-ministra já iniciou o cultivo de oliveiras em sua propriedade no município. Segundo ela, com o início da produção do azeite de oliva pretende, futuramente, promover a rotulagem do produto na cidade. A ex-ministra disse, ainda, que tem interesse de iniciar a criação de gado e, também, investir na transformação de biomassa em briquetes.

RS É O MAIOR PRODUTOR BRASILEIRO DE OLIVEIRAS

Segundo Pedro Brites Pascotini, coordenador Estadual de Olivicultura e Grãos e sistemas integrados do Sebrae-RS, a oliveira é uma das plantas mais antigas cultivadas pelo homem, com registro de cultivos em torno de 6.000 a.C na zona da Palestina. Apesar de estar presente por mais de meio século no estado do Rio Grande do Sul, faz apenas pouco mais de uma década que a olivicultura vem se firmando como uma cultura promissora no agronegócio gaúcho. O estado é atualmente o maior produtor do país. Ao todo, já são em torno de 2 mil hectares plantados espalhados em 55 municípios.
Para investir no ramo da olivicultura é aconselhado tomar algumas precauções, como saber quais são as áreas e as condições climáticas mais favoráveis para a cultura. De acordo com o zoneamento edafoclimático realizado pela Embrapa, o Rio Grande do Sul possui 7,4 milhões de hectares de terra com aptidão recomendável para o cultivo, sendo que 51% se encontra na metade sul do estado.
Essa região possui um clima adequado para a maturação dos frutos, com temperaturas entre 25°C e 35°C no verão. O inverno gaúcho também possui boas condições para a cultura da oliva, pois dificilmente ocorrem temperaturas abaixo de 0°C, variando geralmente entre 3°C e 15°C.
O produtor precisa ter atenção, porém, com a Umidade Relativa (UR) do ar, que quando muito elevada favorece o aparecimento de doenças fúngicas. Além disso, neblina e a alta UR do ar são prejudiciais principalmente no período de floração, na primavera, onde podem inviabilizar os grãos de pólen, afetando diretamente a frutificação. Se faz necessário evitar baixadas, onde ocorre o acúmulo de nevoeiros, bem como topos de morro, onde há intensidade de ventos. Terrenos com face de exposição norte são mais adequados, pois possuem maior tempo de captação de radiação solar.
Para os produtores recorrerem a um financiamento agrícola para a cultura da oliveira, um dos pré-requisitos exigidos é que o pomar esteja localizado em áreas recomendadas no zoneamento edafoclimático. Portanto, é importante que o produtor conheça este estudo para reduzir riscos e obter bons resultadas no cultivo das oliveiras.


Com informações das prefeituras municipais de Triunfo e Arroio dos Ratos e do Sebrae-RS.








Deixe seu Comentário

Os comentários de leitores, no site ou em redes sociais, não representam a opinião do Portal de Notícias e são de responsabilidade única e exclusiva de seus autores, que poderão ser responsabilizados legalmente pelo seu conteúdo.