Corpo e mente

Por Clin - Clínica Infanto Juvenil 20/04/2017 - 16:41 hs

Roberta Caron Viero

Médica Psiquiatra - CREMERS 30806

           

O corpo é concreto: tem forma, cor, cheiro, gosto; pode ser tocado e visto; a mente não. A mente é impalpável, invisível, sem forma; apesar disso, não temos dúvida de sua existência; o que não é unanimidade (ainda) é a relação entre o eles, mas, a cada dia, as mais diversas áreas do conhecimento se aproximam de tal afirmativa.

O corpo mente? Fazendo esse trocadilho em forma de questionamento, proponho pensar sobre a interação entre o corpo e a mente, abordando os transtornos somatiformes (para não fugir da psiquiatria). Quando se pensa sobre o adoecimento levando em conta a interação entre o corpo e a mente, muitas palavras e termos passam pela cabeça e é muito importante saber seus significados, saber o que querem dizer.

A somatização seria a expressão de um conflito psíquico através do corpo; o sofrimento de origem mental, algumas vezes, não está  claramente identificado e pode se manifestar através de sensações físicas e/ou doenças físicas. A somatização poderia ser entendida como um dos processo da interação entre o corpo e a mente: o corpo como porta voz de alguns aspectos da mente.

A doença psicossomática caracteriza uma alteração estrutural e/ou fisiológica desencadeando o adoecimento físico propriamente dito; sua relação com o processo de interação do qual estamos falando se dá pela natureza dos fatores desencadeantes; o principal fator causal na doença psicossomática são os fatores emocionais.

Enquanto na doença psicossomática existe o adoecimento físico decorrente de fatores psicológicos, no transtorno somatiforme o adoecimento físico não é evidente; existe sintomas físicos que sugerem uma patologia orgânica, porém, após investigação clínica, esses sintomas não são explicados por uma doença; ou seja, não se “encontra” uma doença física que justifique os sintomas.

O assunto não se esgota aqui; darei continuidade num próximo texto. Quanto ao questionamento do segundo parágrafo... Não sei se o corpo mente, mas me parece que ele fala.