JOÃO ADOLFO GUERREIRO | Já é primavera!

Agora é primavera e eu existo, vivo e amo

São agora exatamente 10 horas e 31 minutos nessa terça-feira, 22 de setembro de 2020, então já é primavera e estamos aqui, eu e você. Então já é a minha primavera e a tua primavera, a nossa primavera, a primavera de nossos dias e de nosso tempo, para nós que temos a dádiva de existir e o privilégio de viver sob o sol e entre o vento.

O sol é calor e o calor é vida sobre a pele e o vento é ar e o ar é vida dentro dos pulmões ao entrar pelas narinas assim como a água é vida ao entrar pela boca e as flores são vida ao encantarem e encherem nossos olhos de cor e nossos cérebros de sensações e prazer. E por isso gostamos da primavera, porque ela é telúrica e tem coisas desse mundo e toda vez que entrar setembro a boa nova andará pelos campos para nossa alegria. É primavera, te amo.

É primavera e já deixamos para trás o frio canalha e ainda estamos longe do calor despudorado e espaçoso. O frio e o calor são de Deus e mostram que Ele existe, mas a primavera mostra o quanto Ele nos ama. É primavera, Ele ama e a boa nova está pelos campos. A primavera é perfeita como a mulher amada vestida ou nua, assim como o rio de minha cidade é o Jacuí e é perfeito porque o Jacuí é o rio de minha cidade e o rio que passa pela minha cidade me é íntimo e amado nesta primavera que chega e que é amor. O Jacuí existe e é todo vida e amor nesta manhã de sol em que a primavera chega na minha e na tua vida, nas nossas vidas, nós que, também, estamos aqui e existimos, testemunhando.

Feliz de quem deu a luz e de quem nasceu numa manhã primaveril de setembro e feliz de quem existe e vive para ver a primavera chegar numa manhã ensolarada de setembro.

PS - Minhas referências são como flores amarelas numa ciclovia, já existiram e tu as sabe, mas eu não as menciono, apenas as comungo silenciosamente com quem as sabe porque, quem vive, sabe e, portanto, conhece sem precisar dizer, nesse mundo onde tudo um dia se vai e se integrará sem nome ao todo, eis que não há importância nos nomes, mas é preciso saber viver e amar ao existir. E ponto final, agora, porque é primavera e eu existo, vivo e amo às 10 horas e 31 minutos desta terça-feira, 22 de setembro de 2020.