Polo Integrado de Química de Montenegro e Triunfo deve iniciar atividades em 2021

Sete empresas assinam protocolo para instalação na área localizada próxima ao Polo Petroquímico de Triunfo

Por Portal de Notícias 09/09/2019 - 14:32 hs
Foto: Reprodução
Polo Integrado de Química de Montenegro e Triunfo deve iniciar atividades em 2021
Polo de Química está localizado próximo ao Polo Petroquímico de Triunfo

O Polo Integrado da Química RS, localizado entre Montenegro e Triunfo, começa a ganhar forma. Na manhã desta segunda-feira (9), na Capital, sete empresas do setor instaladas na Região Metropolitana assinaram protocolo de intenções para transferir suas fábricas para o Vale do Caí. Segundo o Sindicato das Indústrias Químicas do Rio Grande do Sul (Sindiquim-RS), a tendência é de que as novas unidades comecem a operar a partir de 2021 e o investimento nesta etapa chegue a R$ 200 milhões.

Entre as companhias que já aderiram ao polo, há três de Cachoeirinha, uma de Campo Bom e três de Porto Alegre. Elas serão as primeiras a ocupar uma área com cerca de 700 hectares em Montenegro. O terreno pertence ao governo do Estado e fica próximo do polo petroquímico de Triunfo. Os lotes serão negociados para as empresas químicas interessadas em se instalarem no local ao custo aproximado de R$ 40 mil por hectare.
O presidente do Sindiquim-RS, Newton Battastini, destaca que a migração deve facilitar a logística e a operação das indústrias. Na primeira leva, irão para Montenegro fábricas de cosméticos, artigos de limpeza, tintas e saneantes, entre outros produtos químicos. Posteriormente, também há a intenção de abrir espaço para a indústria do plástico.
- O polo vai pegar principalmente pequenas e médias empresas, muitas que hoje estão na Região Metropolitana e querem ampliar sua estrutura – salienta.
Para atrair novos negócios para o local, a prefeitura de Montenegro promete incentivos fiscais e auxílio na terraplanagem. O prefeito Kadu Müller espera que, pelo menos, 30 empresas do setor ocupem o espaço nos próximos anos.
– O polo químico é um divisor de águas para o município. Estamos criando uma nova lei de incentivos para as empresas se instalarem lá – aponta. 

EMPREGOS

Muitas das empresas que irão para o polo químico em Montenegro acompanharam de perto o desenvolvimento das cidades onde atualmente estão instaladas. Com a expansão imobiliária nos municípios da Região Metropolitana nas últimas décadas, elas acabaram ficando sem margem para ampliar suas plantas.
– Quando criamos a empresa, nos anos 1970, a fábrica estava em uma área praticamente verde, que hoje é residencial. Estava no momento de buscarmos uma área industrial e esta é uma grande oportunidade – afirma Jairo Schneider, diretor comercial da Kresil, uma das marcas que integrarão o polo.
Sediada em Porto Alegre, a fábrica de tintas e vernizes projeta investir de R$ 5 milhões a R$ 10 milhões na transferência da unidade. Com a perspectiva de ampliação em Montenegro, Schneider diz que o quadro de funcionários, hoje com 50 pessoas, deverá ser reforçado.
Fabricante de produtos de higiene, a Crivella, de Cachoeirinha, pretende ampliar significativamente a área de produção a partir da ida para o polo da indústria química. O diretor Iberê Costa aponta que o objetivo é sair dos atuais 10 mil metros quadrados para um espaço de 30 mil metros quadrados.
– Pretendemos ir para o polo para ficarmos centralizados com outras empresas do setor e ficarmos ao lado do polo petroquímico – explica Costa.
O dirigente diz que, a partir da assinatura do protocolo, a empresa começará a calcular o valor a ser investido na nova unidade. No entanto, existe a convicção de que a equipe atual, de 60 funcionários, será ampliada para atender ao aumento da produção.

ESTRUTURA

A área pertence ao governo do Estado, que negociará os terrenos com as empresas químicas interessadas por preço simbólico. Toda a estrutura de água, luz, saneamento, fibra ótica e pavimentação de vias foi realizada pelo Estado. Na primeira fase de implantação, são oferecidos 27 lotes, que vão de 4 mil a 71 mil metros quadrados. A prefeitura de Montenegro sinaliza com incentivos fiscais e ajuda na terraplanagem. 
Mais informações: Detalhes sobre os lotes disponíveis podem ser obtidos com o Sindiquim-RS, pelo e-mail sindiquim-rs@sindiquim.org.br ou telefone (51) 3331-5200.

CONHEÇA AS EMPRESAS

CRIVELA – com unidades em Porto Alegre, Cachoeirinha e Manaus (AM), a empresa trabalha no ramo de produtos de limpeza, produzindo detergentes, desengraxantes, desinfetantes e sabonetes líquidos para todo o Brasil. Fornece, especialmente, para hotéis, indústrias e lavanderias e cozinhas industriais. Também atua na produção de inseticidas, larvicidas e repelentes, com laboratório exclusivo de pesquisa e desenvolvimento. Foi inaugurada em 1928.
TECPON – De Cachoeirinha, a empresa começou no ano de 1995, mas reúne uma equipe de profissionais com mais de 40 anos de experiência no mercado. Atua na fabricação de químicos de limpeza, desenvolvendo soluções de higienização personalizadas, desenvolvendo produtos que atendam, individualmente, cada área das empresas-clientes, de acordo com as necessidades específicas.
QUIMICAMAR – Atua na área de comercialização, fracionamento e distribuição de produtos químicos, tanto para o mercado interno, quanto para o externo. Com unidades em Cachoeirinha, Porto Alegre e Itajaí (SC), também atua na industrialização e fracionamento de amônia. A partir de seu planejamento de extensão mercadológica, tem colocação nos estados de Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Goiás.
TINTAS KRESIL – A empresa existe desde 1967, provendo soluções em pintura e revestimento para a Construção Civil do Sul do Brasil. Possui parque fabril em Porto Alegre, com uma unidade de mais de 18 mil metros quadrados. É reconhecida por produtos de qualidade e durabilidade; e também pela busca por inovação ao segmento.
MEMPHIS – Possui unidades em Porto Alegre e Portão, com centros de distribuição espalhados pelo país. Teve início em 1949, com produção de sabonetes, desodorantes, colônias e talcos; e muitos atrelam sua história à trajetória da perfumaria brasileira como um todo. Foi pioneira na distribuição dos produtos em todo o Brasil e, hoje, também exporta para países do Mercosul. Todas as composições são exclusivas da marca.
ROCHADEL – Criada em 1987, a empresa tem sede em Porto Alegre, voltada para a produção de géis e cremes de massagem. Tem como principal público profissionais da área da estética corporal de todo o Brasil, hoje com um mix de itens para a hidratação, tratamento estético e cuidados com a pele. Com a marca “D’água Natural”, é referência nacional dentro do segmento.
BOTANIK – Empresa familiar fundada no ano de 1997, ela tem sede no Distrito Industrial do Município de Campo Bom. Trabalha com a produção de cosméticos para uso facial, corporal e capilar, produtos de higiene e perfumaria, com atendimento personalizado para pequenas, médias e grandes empresas. Na sede, hoje, tem capacidade de produção de 100 mil unidades/dia.

As informações são do Jornal Ibiá e GaúchZH