IEE Assis Chateaubriand volta às aulas depois do ataque da última quarta-feira

Diversas ações buscam unir, dar apoio psicológico e mais segurança à comunidade escolar

Por Portal de Notícias 26/08/2019 - 09:51 hs
Foto: Carla Miller Trainini / Banco de Dados
IEE Assis Chateaubriand volta às aulas depois do ataque da última quarta-feira
Ataque à escola aconteceu na quarta-feira da última semana

Desde o fato ocorrido na última quarta-feira, onde um adolescente de 17 anos atentou contra a vida de alunos do sétimo ano do Instituto Estadual de Educação (IEE) Assis Chateaubriand, a Prefeitura de Charqueadas e o Governo do Estado se empenham em minimizar os efeitos traumáticos relatados pelos envolvidos e seus familiares.
A Prefeitura imediatamente colocou à disposição do Estado e das famílias uma rede integrada entre as secretarias da Assistência Social, da Educação e da Saúde, com profissionais da área da psicologia e do serviço social para atuarem em sincronia com os profissionais disponibilizados pelo Governo do Estado. Desde o primeiro dia, círculos de restauração e atendimentos estão ocorrendo, individuais e coletivos, para alunos dos sexto e sétimo anos da escola, bem como para seus familiares, professores e servidores.

LEIA TAMBÉM
COM VÍDEO | Menor se inspirou no massacre de Suzano para atacar escola em Charqueadas
“Posso dizer que ouvi os gritos das minhas filhas”, diz professor que desarmou agressor em Charqueadas

Além disso, cerca de 15 psicólogos da região trabalharão voluntariamente durante todo o processo. O Conselho Regional de Psicologia, através da 7ª Região, se colocou à disposição para ajudar em questões éticas e na cedência de profissionais. Um professor pesquisador do Núcleo de Estudos sobre Intervenções a Desastres e Catástrofes da PUC-RS também atua na instituição de ensino.
A Comissão Interna de Prevenção a Acidentes e Violência Escolar (CIPAVE), coordenada por Patrícia Sanchotene Pacheco, está presente na escola desde que foi noticiado sobre o atentado. A coordenadora deu orientações para unir mais a comunidade escolar e repensar a segurança no entorno do Instituto, realizou trabalhos de intervenção pós-traumática com os professores, alunos e colaboradores da instituição. Em seguida foram abordados temas de prevenção para diminuir conflitos que podem vir a desencadear atos de violência ou criminosos como o do dia 21.
De acordo com Patrícia Sanchotene, nesta segunda os alunos irão trabalhar as emoções.
- O objetivo, hoje, é que os alunos, pais e professores possam falar sobre suas emoções. Para isso, depois de um culto ecumênico, os estudantes vão realizar trabalhos para discutir o assunto com desenhos, frases e cartazes para relembrarem coisas positivas da escola. Esse episódio não teve relação com a escola diretamente, então que a gente possa, a partir da tragédia, desenvolver aspectos de união e solidariedade entre os alunos - comenta.
A coordenadora ainda destaca que os valores e objetivos da escola, como cultura de paz, respeito e a não violência serão debatidos com os estudantes em sala de aula.
Em relação ao bullying e esse tipo de ataque, Patrícia destaca que dentro das Cipave já são desenvolvidas atividades de prevenção nas instituições de ensino, com comissões formadas pela comunidade escolar e parceiros. O Papo de Responsa da Polícia Civil estará no Instituto Assis Chateaubriand nesta manhã, após o lanche coletivo. Serão realizados circuitos restaurativos com metodologias para debater sobre como os alunos se sentem nas escolas, em casa e com foco na melhoria das relações entre as pessoas.