Adolescente de 17 anos está desaparecida há dez dias, em Arroio dos Ratos

Segundo relatos de sua mãe, Hellen Stefany Cardoso Azambuja, que tem dislexia, sumiu de dentro de casa

Por Portal de Notícias 18/06/2019 - 15:19 hs
Foto: Arquivo Pessoal
Adolescente de 17 anos está desaparecida há dez dias, em Arroio dos Ratos
Hellen Stefany Cardoso Azambuja está desaparecida desde o dia 8

Carla Miller Trainini

A adolescente Hellen Stefany Cardoso Azambuja, 17 anos, residente no Bairro Alto da Boa Vista, em Arroio dos Ratos, está desaparecida há dez dias. Ela foi vista pela última vez em casa, entre 15h e 16h do dia 8. Segundo relatos de sua mãe, Núbia Maria Moreira Cardoso, a menina, que tem dislexia, estava lavando a louça quando desapareceu.

O Conselho Tutelar foi comunicado e encaminhou Núbia para a Polícia Civil, que investiga o caso. O celular da adolescente foi enviado para a perícia nesta quarta-feira (18).
Diversos cartazes com a foto de Hellen foram espalhados pela cidade e compartilhados nas redes sociais. A adolescente cursa o sétimo ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Anita Garibaldi, em Arroio dos Ratos.
- Tenho recebido diversas pistas, mas nenhuma delas ajudou a encontrar minha filha. Eu estou desesperada e sem saber mais o que fazer para ter a minha filha de volta – suplica Núbia.

SEM DEIXAR PISTAS

Segundo Núbia, que é doceira, Hellen saiu de casa por volta das 13h do dia 8 para ir a uma loja comprar um produto que ela precisava para um bolo que estava preparando, uma encomenda a ser entregue no dia seguinte.
Em função da loja abrir mais tarde, a adolescente optou por ficar em uma praça aguardando. A mãe, estranhando a demora, ligou para o celular de Hellen, que explicou o motivo de não ter retornado ainda. No entanto, não desligou a ligação e Núbia ouviu gritos de desespero como “me larga, está me machucando”, porém, a menina conseguiu fugir da situação e foi para casa.
- Quando minha filha chegou, eu perguntei quem estava a agarrando na praça e disse que eu havia ouvido seus gritos de desespero. Ela só respondeu que “ele estava segurando meu pulso”, mas não disse quem. Eu insisti e ela se fechou e não me disse mais nada – explica Núbia, que notou marcas vermelhas no braço da filha e no rosto.
Passado o ocorrido, Núbia conta que a última vez que viu a filha foi por volta das 15h ou 16h, quando Hellen estava na cozinha lavando louça.
- Eu notei que parou o barulho na cozinha, mas não dei bola. Passando um tempo eu fui ver se ela já tinha terminado de lavar a louça e foi quando percebi que a Hellen não estava mais lá. Essa foi a última vez que vi minha filha – finaliza a mãe, que não sabe dizer se alguém levou sua filha de dentro de casa ou ela saiu sem dizer onde ia.

COMO AJUDAR

A mãe pede que notícias sobre o paradeiro de sua filha sejam comunicadas para os telefones (51) 980.138.175 (Núbia), 197 (Polícia Civil), (51) 997.085.071 ou (51) 999.969.518 (Brigada Militar).