Empresários organizam abaixo-assinado pelo fim da mão única no Centro de São Jerônimo

Comerciantes alegam prejuízos com a queda do movimento em seus estabelecimentos

Por Portal de Notícias 23/05/2019 - 15:07 hs
Foto: Marcos Essvein
Empresários organizam abaixo-assinado pelo fim da mão única no Centro de São Jerônimo
Alegação é que o sentido único reduziu o movimento nos estabelecimentos

Na sessão da Câmara de Vereadores de São Jerônimo da última segunda-feira (20), a pedido de empresários, foi aprovada por unanimidade uma proposta da vereadora Elisa Mara Rocke de Souza (PTB) para a realização de audiência pública para rediscutir o sistema binário de trânsito implantado no Centro da cidade.
Para reforçar o pedido, empresários estão fazendo circular pela cidade um abaixo-assinado neste sentido. Também é possível assinar virtualmente pelo site abaixoassinado.org.
Os empresários alegam que depois das modificações no trânsito, o faturamento de alguns estabelecimentos caiu até 40%. Com isso, salários começam a ser atrasados, enquanto outros podem até fechar as portas. Esta situação foi exposta na sessão da Câmara pelo empresário Ademilson Schmitt, proprietário do Restaurante Recantu´s, que representou os demais empreendedores. De acordo com Schmitt, uma promessa de que o sistema seria implantado de forma experimental e em 90 dias seria reavaliado, não foi cumprida pela Prefeitura Municipal.
O presidente da Câmara, Rodrigo Dornelles Marcolin (PSDB), garantiu que a audiência será marcada o mais breve possível.

LEIA TAMBÉM
Empresários pedem o fim da mão única no Centro de São Jerônimo
Mudanças no trânsito no Centro de São Jerônimo acontecem nesta quarta-feira
Conselho de Trânsito aprova mão única no Centro de São Jerônimo
Projeto para o trânsito do Centro de São Jerônimo: “uma grande rotatória”

ENTENDA

Implantado em 5 de dezembro de 2018, o sistema binário alterou o fluxo de veículo em diversas ruas do Centro da cidade. Segundo o Departamento de Trânsito da Prefeitura, que elaborou o projeto com base em estudos técnicos, as mudanças visavam dar maior segurança e fluidez ao tráfego, reduzindo as paradas nos cruzamentos com a retirada de sinaleiras e aumentando o número de vagas de estacionamento em até três vezes. Também pretendiam solucionar pontos críticos onde o estacionamento oblíquo apresentava maior risco de provocar acidentes.
Porém, segundo os empresários da região compreendida entre as ruas Barreto Leite, General Osório e final das ruas Ramiro Barcelos e Coronel Soares de Carvalho, ele acabaram tendo redução do movimento em seus estabelecimentos e sofrem prejuízos.