Justiça nega pedido de recuperação judicial da Ulbra

Mantenedora da Universidade diz que vai recorrer da decisão

Por Portal de Notícias 22/05/2019 - 19:15 hs
Foto: Banco de Dados
Justiça nega pedido de recuperação judicial da Ulbra
Ulbra acumula uma dívida total de R$ 8,2 bilhões

A justiça gaúcha decidiu negar o pedido de recuperação judicial da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), que havia sido feito pela instituição em 6 de maio.

O juiz Marcelo Tonet, do 1º Juízo da 4ª Vara Cível da Comarca de Canoas, entendeu que os pressupostos do processo não foram cumpridos, em razão de a universidade ter alterado sua natureza jurídica - passando a ser uma sociedade empresária - há um tempo inferior ao prazo legal, que é de dois anos. Segundo Tonet, a universidade pode formular novo pedido de reucperação judicial quando fechado o período necessário.
Em nota, a instituição informou que a mantenedora da Instituição, a Aelbra, irá recorrer da decisão. A Ulbra diz estar "confiante em que a Recuperação Judicial é a melhor solução para reorganizar as finanças da Rede Ulbra de Educação e solucionar as dívidas com os credores".

LEIA TAMBÉM
Ulbra ingressa com pedido de recuperação judicial
Reitor da Ulbra garante que aulas seguirão normais após pedido de recuperação judicial
União pede que Justiça não autorize recuperação judicial da Ulbra

Há dez anos envolta em crise financeira, a Ulbra - com sede em Canoas - acumula uma dívida total de R$ 8,2 bilhões e tenta renegociar um passivo financeiro e trabalhista de R$ 2,4 bilhões (os outros R$ 5,8 bilhões são compostos por dívidas tributárias).
A Aelbra reforça em nota que a decisão judicial não interfere na rotina acadêmica, nem nas atividades das escolas de Educação Básica da Rede Ulbra de Educação. Todas as disciplinas previstas continuam ofertadas, os trabalhos acadêmicos e escolares seguem normalmente, assim como o calendário de aulas, demais atividades e o Vestibular Ulbra 2019/2, que está com as inscrições abertas.

#Somos Todos Ulbra

Um abaixo-assinado virtual, que já conta com mais de 14 mil assinaturas, pede  que a Justiça aceite o pedido de recuperação da Universidade:
Para: Exmo(a) Sr(a) Juiz(íza) de Direito da 4ª Vara Cível da Comarca de Canoas/RS
Exmo(a) Sr(a) Juiz(íza) de Direito da 4ª Vara Cível da Comarca de Canoas

Processo nº 5000461-37.2019.8.21.0008

Nós funcionários, familiares, alunos, amigos e sociedade em geral pedimos a Vossa Excelência o deferimento da recuperação judicial da Universidade Luterana do Brasil para que se preservem os mais de 4.000 empregos diretos e mais de 40.000 alunos da instituição. A Ulbra merece e precisa de uma chance para se recuperar. Somos todos Ulbra.


Com informações são do Jornal do Comércio