Universidades e institutos federais protestam contra cortes no orçamento

Movimento vai até dia 15, quando deve ocorrer uma paralisação nacional. Presidente Bolsonaro determinou reintegração de posse de imóveis ocupados por manifestantes, sem aguardar decisão judicial

Por Portal de Notícias 06/05/2019 - 09:24 hs
Foto: Saira Borba / Banco de Dados
Universidades e institutos federais protestam contra cortes no orçamento
IFSul teve corte de mais de 37% no orçamento

Depois do corte de 30% nos orçamentos das universidades e institutos federais, professores, servidores e alunos destas instituições promovem manifestações. O movimento denominado “Revolução dos 10 Dias” inicia hoje e vai até dia 15 com uma paralisação nacional. Segundo lideranças, “o movimento é pacífico e unificado entre instituições federais em defesa de seus direitos constitucionais”.
O Instituto Federal Sul-rio-grandense, que tem 14 câmpus no estado, incluindo o de Charqueadas, teve corte de mais de 37%. Na semana passada, o reitor
Flávio Luis Barbosa Nunes, emitiu uma nota alertando que terá dificuldades para manter as atividades.

LEIA TAMBÉM
Corte de mais de 37% no orçamento pode inviabilizar atividades do IFSul

No sábado, o presidente Jair Bolsonaro publicou em seu perfil no Twitter que órgãos federais foram orientados pela Advocacia-Geral da União (AGU) a proceder a reintegração de posse de imóveis públicos ocupados por causa de algum protesto. De acordo com o tuite, a reintegração de posse não deverá aguardar decisão judicial correspondente. Com a decisão, fica permitido que a Polícia Federal e as estaduais reajam imediatamente aos pedidos de reintegração.


CRONOGRAMA DO MOVIMENTO

Dia 6/5 - Segunda
Todos vestem preto

Dia 7/5 - Terça
Enxurrada de cultura
Todos publicam nas redes sociais exemplos de ações concretas nas Instituições Federais de ensino. Dados concretos de educandos, pesquisa, extensão e outras atividades

Dia 8/5 – Quarta
Cidadania em debate
Representantes estudantis, lideranças institucionais, sindicais, acadêmicas chamam para ato coletivo dentro das suas instituições de ensino. Serão promovidos debates e discussões acerca e em defesa da educação.

Dia 9/5 – Quinta
Parando o trânsito

Dia 10/5 - Sexta
Convidando a sociedade
Nas redes sociais, pessoalmente, por telefone, e-mail, faixas, como for possível, convidar familiares, amigos, conhecidos, ex-alunos, servidores, para aderirem à defesa da educação e exigir que o governo reestabeleça o orçamento previsto para as UFs, IFs e FUNDEB. Manifestação massiva nas redes sociais.

Dias 11/5 e 12/5 – Sábado e Domingo
Manifestação na redes sociais divulgando dados da educação e convidando a sociedade para a paralisação no dia 15/5 e a para o ato de exposição das práticas das produções dos IFs e UFs no dia 13/5.

Dia 13/5 - Segunda
O que se faz?
Levar para a praça pública projetos, produções, publicações e banners do que é realizado nas instituições públicas de ensino.

Dia 14/5 - Terça
Preparar a luta
Organização interna para a paralisação no dia 15/5. Todas as instituições públicas devem dialogar e unir forças na estratégia para a paralisação conforme a realidade de cada cidade.

15/5 - Quarta
Paralisação Nacional
Manifestação pública exigindo que o governo reverta o corte orçamentário na educação.