Votação do impeachment de Belô e Orison acontece hoje em Triunfo

São necessários 8 votos para que o prefeito e o vice percam o mandato

Por Portal de Notícias 26/04/2019 - 14:50 hs
Foto: Banco de Dados
Votação do impeachment de Belô e Orison acontece hoje em Triunfo
Sessão de votação inicia às 17h na Câmara de Vereadores

A cidade de Triunfo para nesta sexta-feira. A partir das 17h, os 11 integrantes da Câmara de Vereadores julgam o processo de impeachment aberto em fevereiro contra o prefeito Valdair Gabriel Kuhn, o Belô, e o vice, Orison Donini Cezar Júnior, da coligação PSB-PSDB, eleita em 2016.
A denúncia que deu origem ao pedido de cassação foi apresentada por um cidadão. Ozenir Alves da Silva Filho aponta irregularidades que teriam sido cometidas pela administração municipal na área da saúde e em licitações. Entre os fatos citados, estão a contratação do Instituto de Administração Hospitalar e Ciências da Saúde (IAHCS), responsável pela gestão do Hospital Santa Rita. Segundo a denúncia recebida pela Câmara, o Executivo teria gasto, de forma irregular, em torno de R$ 2,6 milhões só em pagamentos ao Instituto.
Ozenir alega que o prefeito e vice teriam forjado um decreto de Estado de Emergência e de Calamidade Pública na área da Saúde para permitir a prática de várias irregularidades. Entre elas, contratações ilegais de empresas terceirizadas mediante indicação política e fraudes em processos licitatórios. O documento foi entregue ao Legislativo no dia 11 de fevereiro.
Durante a fase de apurações, prefeito e vice recorreram à Justiça em pelo menos três oportunidades para anular o processo, mas não tiveram êxito. Ao fim dos trabalhos, a relatora da comissão processante, vereadora Marisete Cristina de Freitas Vaz (Moa, PP), apontou a improcedência da denúncia, mas o parecer foi rejeitado pelos outros dois integrantes do grupo, Nelson Saraiva Aguilheiro (PDT) e Valmir Rodrigues Massena (PSD). Diante disso, o presidente do Legislativo marcou para esta sexta, a partir das 17h, o julgamento.
Para que a cassação seja aprovada, serão necessários os votos de oito dos 11 vereadores de Triunfo. A bancada governista, atualmente, possui três integrantes. Se o impeachment for confirmado, quem assume o comando do Executivo interinamente é o presidente da Câmara, Murilo Machado Silva, do PMDB, até a realização de eleições suplementares para a conclusão do atual mandato.