General Câmara: arquivado pedido de cassação do vereador Selomar por quebra de decoro

“Senta aqui no meu colo”: segundo denúncia da vereadora Chica, ele teria tido atitude machista durante reunião das comissões permanentes da Câmara

Por Portal de Notícias 18/04/2019 - 23:08 hs
Foto: Bando de Dados
General Câmara: arquivado pedido de cassação do vereador Selomar por quebra de decoro
Chica pediu a cassação de Selomar por quebra de decoro

Na noite desta quinta-feira (18), por cinco votos a três, a Câmara de Vereadores de General Câmara arquivou pedido de cassação do mandato do vereador Selomar Salvador Peixoto da Silva (Selomar, PSB) por quebra de decoro parlamentar.

De acordo com a denúncia da vereadora Ana Lúcia Maciel Brandão (Chica, PHS), em uma reunião das comissões permanentes da Casa, Selomar teria agido de forma machista, sexista e preconceituosa em relação à denunciante. Segundo Chica, durante sua ausência da sala, Selomar teria sentado no lugar que ela ocupava e, ao ser alertado pelos colegas, ele teria dado tapinhas em sua própria perna e dito que ela sentaria em seu colo. Além dos vereadores presentes à reunião - que teriam repreendido o colega - o ato foi testemunhado por funcionárias da Câmara. A reunião foi gravada e o áudio anexado ao pedido de cassação.

LEIA TAMBÉM:
Chica é a primeira mulher a presidir o Legislativo de General Câmara

Chica disse que tomou conhecimento do fato no dia seguinte, alertada pelo colega João Rodrigues da Silva (João Rodrigues, PTB) e, também, por comentários na comunidade. Ela justificou o pedido de cassação.
- Estou fazendo minha parte como mulher. Porque eu defendo, sim, as mulheres. Defendo o espaço, defendo o respeito. Sempre vou exigir que as mulheres sejam colocadas em seu devido lugar e com respeito. "Senta aqui no meu colo", o que é isso? Falta de consideração com a mulher – disse.
Em sua defesa, Selomar disse que o ato se tratava de uma brincadeira e, ainda, que a vereadora estaria pedindo sua cassação porque ele agora defende o governo na Casa Legislativa. No mesmo sentido, o vereador Ismael Lima da Silva (PSB) classificou a denúncia como perseguição política e um ato de “politicagem” porque a bancada do PSB agora está no governo.
André Luiz Zanette (Zanette, PHS), que ocupou a pasta da Agricultura no atual governo, disse que estava presente na reunião e confirmou ter ouvido Selomar dizer “senta aqui”, mas, segundo ele, isso teria ocorrido no momento em que ele se levantava e oferecia a cadeira à vereadora. Ela negou e disse que o ato machista ocorreu durante sua ausência da sala.
Em defesa da colega, João Rodrigues disse que presenciou o fato e exigiu a apuração, no que foi acompanhado pelo vereador Daniel Ferreira dos Passos (Daniel, PDT).
Após uma acirrada discussão, o pedido de cassação foi votado e a maioria governista decidiu pelo arquivamento. Os suplentes Geraldo Machado Brandão (Teza, PHS) e Luiz Eduardo Bortoli de Oliveira (PRB) foram convocados para a votação.

VOTAÇÃO

A favor

João Rodrigues a Silva (PHS)
Daniel Ferreira dos Passos (PDT)
Luiz Eduardo Bortoli de Oliveira (PRB)

Contra
Geraldo Machado Brandão (Teza, PHS)
André Luiz Zanette (PHS)
Ismael Lima da Silva (PSB)
Luiz Fernando Gomes Franken (Nando, PMDB)
Alessandro dos Santos Rasquinha (Xando, PPS)