Hospital São Jerônimo retoma parcialmente o atendimento de especialidades

Estado sinaliza com o pagamento dos débitos por meio de parcelamento e empréstimo junto ao Banrisul

Por Portal de Notícias 11/03/2019 - 10:42 hs
Foto: Marcos Essvein
Hospital São Jerônimo retoma parcialmente o atendimento de especialidades
Centro de Especialidades Médicas do HSJ

A crise financeira que atinge a Saúde do Estado gera reflexos para os pacientes da região Carbonífera, que no início de fevereiro tiveram as consultas com especialistas canceladas no Centro de Especialidades Médicas do Hospital de São Jerônimo (HSJ), referência na região.
Porém, diante do avanço nas negociações com o Estado, que deve mais R$ 4,4 milhões em repasses, mas sinaliza com parcelamento e liberação de um empréstimo para quitas as dívidas, o HSJ retoma os atendimentos de algumas especialidades.
De acordo com o administrador João Batista Pozza, a partir desta semana serão retomados os atendimentos de p
neumologia, vascular, ginecologia, proctologia, oftalmologia, cirurgia e fonoaudiologia. As cirurgias eletivas ainda não têm previsão de reinício.

LEIA TAMBÉM:
Com déficit mensal de R$ 1,3 milhão, Hospital de São Jerônimo pode reduzir atendimentos
Canceladas consultas com especialistas no Hospital de São Jerônimo
Funcionários do Hospital São Jerônimo cobram salários atrasados
Hospital de São Jerônimo atende apenas casos de urgência
Estado promete manter pagamento a hospitais em dia a partir de março
Hospitais de Charqueadas e São Jerônimo estão aptos a receber financiamento da Saúde

O estado deve os repasses referentes aos meses de setembro, outubro, novembro e dezembro de 2018 e, ainda, janeiro e fevereiro de 2019. Segundo Pozza, o governo do Estado propôs o parcelamento dos débitos de setembro e outubro em 36 vezes; para os meses de novembro e dezembro ainda não há proposta; os meses de janeiro e fevereiro serão quitados por meio de empréstimo junto ao Banrisul, que deverá se concretizar neste mês de março.
O HSJ negocia com os médicos a retomada dos atendimentos mesmo sem receber os atrasados, no entanto Pozza, não acredita que aceitem receber em 36 vezes.