Charqueadas: Projeto Girassol leva qualidade de vida aos participantes

Coordenadora permanece à frente do projeto para manter vínculo com os usuários

Por Portal de Notícias 11/01/2019 - 09:03 hs
Foto: Divulgação
Charqueadas: Projeto Girassol leva qualidade de vida aos participantes
GRupo retornou às atividades em 2019

Desde 23 de julho de 2018, o Projeto Girassol vem mudando histórias na comunidade Charqueadense, com o intuito de proporcionar saúde, bem-estar, ressocialização e qualidade de vida para seus usuários. O projeto visa também contribuir para amenizar danos causados pela depressão, obesidade e sedentarismo de seus componentes.

Com receio de que terminasse o vínculo já criado entre os usuários e as coordenadoras do projeto pela extinção dos contratos, já que são estagiárias com formatura neste semestre, o grupo fez um apelo à Câmara de Vereadores de Charqueadas, para elas fossem mantidas na coordenação das atividades.
O vereador Rafael Divino se solidarizou e fez visita ao projeto, ouviu os pedidos do grupo e levou ao prefeito Simon Heberle. Com isso, no
último dia 7, foi assinado contrato para que Evelin Israel Garcia fique à frente do Projeto Girassol durante o ano de 2019. A notícia foi recebida com euforia pelo grupo, que já retornou às atividades.

MUDAN
ÇA DE HÁBITOS

Para Marina Machado, 54 anos, moradora do Bairro Beira-Rio, as atividades realizadas durante a semana mudaram muito sua vida.
- A vontade de estar entre amigos aumentou e estou mais disposta. Este projeto precisa continuar e beneficiar mais pessoas. Aulas gratuitas e com muita qualidade - disse.
Al
ém de qualidade de vida e maior disposição, o grupo proporciona momentos de lazer e saúde para pessoas de diversas faixas etárias, motivando e incentivando a participação.
Foi por acaso que Josevania Mallet, 40 anos, moradora do Bairro Orvisa, conheceu o grupo.
- Estava descontente comigo e sa
í pela cidade, nas academias particulares para começar a fazer uma atividade física, mas não me senti bem, sei lá, precisava me sentir acolhida para dar continuidade às atividades físicas. Caminhando pelo Parcão vi o grupo e fui me informar. As orientadoras me receberam com muito carinho e, sem pensar duas vezes, entrei no grupo. Minha autoestima melhorou, minha relação com as pessoas também e, hoje, minha irmã que já fazia parte o grupo e eu estamos motivando nossos pais, que também entrarão para o Grupo Girassol revela.
Combater a obesidade
é um dos objetivos do grupo. Para as arientadoras Evelin e Mirla, há muito mais cuidados para se ter com pessoas que não se sentem bem com seu corpo.
- Al
ém de problemas físicos causados pela obesidade, a depressão também pode estar no quadro do paciente. Por isso, cuidamos de cada componente do grupo para que assim ele se sinta acolhido e com disposição para manter hábitos saudáveis - diz Evelin Garcia.
Foi assim que aconteceu com Sandra Machado, 53 anos, moradora do Bairro Morada do Sol.
- Fiz a (cirurgia) bari
átrica e tinha receio de frequentar academia, mas era preciso para dar continuidade ao tratamento. Com o grupo eu me reinventei, sou outra pessoa, a aceitação é muito importante e eu só torço para que este grupo cresça mais e mais diz.

INFRAESTRUTURA

Para 2019, al
ém da continuidade do projeto, o Grupo Girassol pretende crescer ainda mais. Hoje o projeto conta com aulas de ritmos, caminhada orientada, step, treinamento funcional e reiki.
- Nosso maior empecilho para que isso aconte
ça é o espaço físico, já que as salas precisam de reparos, como piso antiderrapante e um espaço coberto na frente do prédio, o que já daria para aumentar significativamente o número de participantes das atividades comenta Marina Machado.
Outro ponto que elas consideram importante
é a manutenção dos aparelhos, pois alguns já se encontram enferrujados.
- Meu pai come
çará a fazer atividades físicas neles, precisam estar seguros - enfatiza Josevania Mallet.
Ao contr
ário que muitos pensam, as atividades do grupo não são dirigidas somente às mulheres: homens são bem aceitos no grupo. Adair Correia da Silva, 71 anos, morador da Vila dos Portos, é frequentador das atividades.
- Precisei vir, pois estava com diabetes e press
ão alta. Com o programa eu me motivei a me cuidar e este grupo me ajuda diariamente. Eu não sei o que seria da minha vida sem ele conta.
Os interessados em participar ou conhecer um pouco mais o projeto, podem comparecer na Academia do Parc
ão levando a carteira de identidade e o cartão SUS. As atividades acontecem de segunda a sexta-feira, com turmas pela manhã e tarde.

Colaboração:  Débora Tolotti