Eduardo Leite é eleito governador do Rio Grande do Sul

Confira a votação para o Governo do Estado na região Carbonífera

Por Portal de Notícias 29/10/2018 - 05:07 hs
Foto: Paulo Rossi / Diário Popular
Eduardo Leite é eleito governador do Rio Grande do Sul
Eduardo Leite comemora a vitória em Pelotas

 Eduardo Leite, 33 anos, é o novo governador do Rio Grande do Sul. O candidato do PSDB venceu a disputa contra José Ivo Sartori (MDB) no segundo turno das eleições, disputadas neste domingo, 28. O ex-prefeito de Pelotas obteve 53,62% dos votos válidos, sendo eleito para comandar o Estado a partir de janeiro de 2019 pelos próximos quatro anos. O percentual de Sartori ficou em 46,38%.

Com isso, os gaúchos mantêm a tradição de não reeleger o governador. Desde 1997, quando foi promulgada a Emenda Constitucional nº 16, em 1997, que permitiu a reeleição de chefes do poder Executivo para mais um mandato subsequente, nenhum conseguiu permanecer no comando do Estado por mais quatro anos.

Região Carbonífera
Na região Carbonífera, Eduardo Leite venceu em todos os municípios. A maior votação foi em Minas do Leão, com 66,74% dos votos válidos. O menor percentual ocorreu em Triunfo, onde Leite obteve 57,31% dos votos válidos.

O jovem candidato do PSDB veio ganhando força ao longo da campanha - teve o maior tempo de propaganda no rádio e na TV - e saltou, no primeiro turno, do terceiro lugar para chegar na frente de Sartori por uma pequena margem. Ao abrir as urnas, no dia 7 de outubro, Leite ficou com 35,9% dos votos e o atual governador com 31,1%. Na campanha, adotou um tom neutro, conciliador, dizendo que colocará a casa em ordem.
No segundo turno, Eduardo Leite partiu para se consolidar entre o eleitorado. Adotou um tom mais forte contra Sartori, com troca de farpas e acusações. Bateu na tecla de que colocará a casa em ordem sem a necessidade de manter os salários dos servidores parcelados, descartou vender o Banrisul e a Corsan. Leite aposta em modernizar o Estado e aplicar o que ele chama de gestão eficaz: diminuir o Estado e investir em áreas prioritárias.