Acidente expõe fragilidade da Saúde em São Jerônimo

Acidente expõe fragilidade da Saúde em São Jerônimo

Sem ambulância disponível, Bombeiros foram acionados e precisaram levar vítima a pé para o Hospital da cidade

Por Portal de Notícias 08/02/2018 - 18:15 hs
Foto: Divulgação
Acidente expõe fragilidade da Saúde em São Jerônimo
Corpo de Bombeiros socorreu a vítima, mas precisou levá-la a pé ao Hospital

Carla Miller Trainini

Um acidente ocorrido por volta do meio-dia desta quinta-feira, 8, expôs a fragilidade da saúde pública no município de São Jerônimo. Um homem de 59 anos, que conduzia sua bicicleta pela Rua Harry Kuplich, próximo ao Fórum da cidade, caiu devido às péssimas condições de conservação da rua e precisou de atendimento de emergência. Moradores que presenciaram o ocorrido, de imediato solicitaram auxílio à Brigada Militar para que enviassem uma ambulância até o local. Esta, por sua vez, fez a solicitação ao Município e não foi correspondida. Com a demora excessiva do Município, o Corpo de Bombeiros foi acionado e prestou atendimento. Enquanto isso, populares providenciaram um guarda-sol para proteger a vítima do forte sol do meio-dia.

O que chamou atenção da população foi o fato de que após ser imobilizada na maca, a vítima foi conduzida a pé pelos bombeiros até o Hospital do Município. A cena inusitada foi filmada pelos moradores, que postaram o vídeo na rede social Facebook, com moções de repúdio ao fato do Município não ter enviado socorro.

- E se fosse uma situação distante do Hospital, o que aconteceria com o acidentado? - questionou um morador.

De acordo com o secretário Municipal de Saúde, Éderson Pizzio, o caso foi pontual.

- São Jerônimo possui duas ambulâncias que atendem ao município e, casualmente, as duas estavam fora. Quando isso acontece nós contatamos a Assistência Familiar Machado para dar suporte. O problema é que as deles também estavam fora do município na ocasião. Foi uma fatalidade, infelizmente - explicou Pizzio sobre o ocorrido.

A vítima sofreu algumas escoriações e até às 17 horas desta quinta ainda permanecia em observação no Hospital. No final da tarde, a Secretaria Municipal de Saúde emitiu uma nota sobre o ocorrido, colocando-se à disposição da população para eventuais esclarecimentos.

Sem ambulâncias em casa

A Secretaria Municipal de Saúde de São Jerônimo possui duas ambulâncias disponíveis para atender moradores na cidade e outras duas no interior. Existe, ainda, uma quinta ambulância. Esta, por sua vez, fica de prontidão para o caso de necessidade quando não há outra disponível. Os serviços prestados por elas envolvem remoção de pacientes para fora do município, além de atender à população em caso de emergências.

As da cidade, que ficam no prédio do INSS, no Centro, se dividem entre condução de pacientes para os hospitais de Santa Cruz do Sul e Porto Alegre, além de prestar socorro à população quando solicitadas. Nesta quinta-feira, estas duas estavam fora do município e a terceira está na oficina desde o início deste mês. Segundo o secretário Pizzio, é preciso reparo da homocinética  e tal conserto precisa passar por licitação.

- Na Prefeitura, para comprar, o processo é moroso - disse o secretário ao mencionar a lentidão de um processo licitatório, justificando a demora para tirar a ambulância da oficina.

>> Por dentro

Como funciona o processo para acionar uma ambulância em São Jerônimo

* A Brigada Militar não possui ambulância, tampouco presta este tipo de serviço para a comunidade. O que acontece é que, quando acionado o número 190 para solicitar ajuda, a BM entra em contato com o Município e informa a necessidade do atendimento de socorro a uma vítima. Este, por sua vez, tem a obrigação legal de enviar uma ambulância para o local. O número para acionar socorro direto pela Prefeitura não é disponibilizado à população. É a Brigada Militar que intermedia este atendimento.

* A Assistencial Familiar Machado, por sua vez, possui ambulâncias que prestam atendimento particular ao Município sempre que acionada. Não existe nenhum contrato entre Prefeitura e empresa. O serviço é contratado de maneira emergencial e pago posteriormente através de empenho. O secretário de Saúde não soube precisar o valor pago pelas remoções, tampouco explicar como funciona o cálculo. O responsável pela Pasta limitou-se a dizer que são casos pontuais e que os valores variam de acordo com o atendimento prestado.

* O Corpo de Bombeiros presta socorro à população, sendo esta uma das suas finalidades, mas não possui ambulância própria. O número de emergência é 193. Foi o que aconteceu nesta quinta-feira, quando o Município não possuía nenhuma ambulância disponível. Os Bombeiros, assim que acionados, prestaram atendimento. No entanto, foi preciso usar o caminhão na ocasião, que possui equipamentos necessários para socorro, mas não para a remoção da vítima.

* São Jerônimo não possui Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). De acordo com o secretário de Saúde, há o interesse do município na contratação do serviço, porém, o órgão não possui em aberto a disponibilidade para novos credenciamentos. O desejo manifestado é da contratação de mais uma ambulância.

Uma pergunta

Éderson Pizzio, secretário Municipal de Saúde de São Jerônimo

O senhor considera que duas ambulâncias são suficientes para atender à população de São Jerônimo?

- Pelo cálculo da Organização Mundial de Saúde, duas ambulâncias dariam conta de prestar atendimento à nossa população. Ainda manifestamos interesse em firmar contrato com o SAMU e temos mais duas verbas federais, uma de R$ 80 mil e outra de R$ 170 mil, que serão usadas para comprar ambulância ainda este ano. Uma vai para a localidade de Palmeira e a outra ficará na cidade. Em casos pontuais também contamos com o auxílio da Assistencial Familiar Machado, que nos presta serviço em casos emergenciais – disse.

A propósito

Por falar em R$ 170 mil, em outubro do ano passado, a Prefeitura de São Jerônimo adquiriu uma camionete 0km do tipo SVU para uso do Gabinete do Prefeito, neste mesmo valor.

Camionete adquirida para o Gabinete do Prefeito custou R$ 170 mil

 

Contraponto

Na manhã desta sexta-feira, 9, a empresa Assistência Familiar Machado informou que não possui contrato com a Prefeitura e que presta serviços eventuais ao Município de forma voluntária.