Começam as obras da nova unidade de produção de leite da Copac em Charqueadas

Começam as obras da nova unidade de produção de leite da Copac em Charqueadas

Cooperativa vai investir R$ 2,5 milhões para ampliar produção de leite

Por Portal de Notícias 02/02/2018 - 09:17 hs
Foto: Banco de Dados
Começam as obras da nova unidade de produção de leite da Copac em Charqueadas
Odenha casrrossel vai elevar a produição para 15r mil litros de leite por dia

Já iniciaram as obras de construção de galpões para alojamento de vacas e implantação de uma moderna ordenha rotativa na Cooperativa de Produção Agropecuária de Charqueadas (COPAC), em Charqueadas.

Com um investimento de R$ 2,5 milhões na nova estrutura, que terá uma ordenha rotativa com capacidade de ordenha de 32 animais por vez, em médio prazo, a COPAC vai passar produzir cerca de 15 mil litros por dia, ou 6 milhões de litros de leite por ano. Atualmente, a cooperativa produz quatro mil litros de leite por dia, com 170 vacas em ordenha mecanizada, que são entregues diariamente a empresa Dália.

Para financiar o novo projeto, a COPAC utilizará recursos próprios e linhas de crédito bancário. Somente a nova ordenha tem um custo de R$ 1,5 milhão. Já o Município, por meio das secretarias de Agricultura e Obras, está apoiando a cooperativa com a cedência de máquinas para as obras. Segundo o secretário de Agricultura, Ronaldo Vieira Cabral, somente na produção de leite o Município vai arrecadar mais de R$ 150 mil por ano em impostos.

Notícia relacionada:

Copac apresenta projeto de investimento de R$ 2,5 milhões na produção de leite

Saiba Mais: Sistema carrosel de ordenha

O sistema carrossel ou rotatório é uma tecnologia de ordenha muito utilizada em larga escala, há muitos anos, na Europa e nos Estados Unidos, e vem ganhando mercado no Brasil. Consiste em uma plataforma rotativa, por isso tem o nome de carrossel, contendo de 24 a 120 baias de ordenha simultânea, com sensores individuais de identificação animal, teteiras e encanamento para encaminhamento do leite aos reservatórios da propriedade. O animal entra na baia rotatória, recebe a higienização e as teteiras necessárias. A ordenha é iniciada durante o ciclo de rotação, que pode durar de 10 a 20 minutos, dependendo das dimensões do equipamento e das características produtivas do rebanho.  

Para a implantação do sistema, é necessária uma área plana e de fácil acesso aos animais e funcionários. É feita a escavação do terreno e a construção da base para o galpão de ordenha, a dimensão da estrutura varia em função do tamanho da plataforma circular, que pode ter de 5 a 40 m de raio. A montagem deve ser realizada por empresa especializada em automação leiteira, que, além de implantar a estrutura do carrossel, realizará a automação do sistema. Anexa ao galpão é construída a sala de pré-ordenha, que unirá o local de alimentação do animal à área de ordenha rotativa. O leite é direcionado, por encanamentos, ao centro do carrossel por tubulações unidas, e encaminhado aos tanques de resfriamento ou diretamente ao laticínio da propriedade.

Uma das vantagens do carrossel está na versatilidade da pré-ordenha, pois as vacas são condicionadas a procurarem o sistema quando sentem a necessidade de ter seu leite ordenhado, ao contrário do convencional, quando os horários são rígidos e pré-definidos. Outro benefício é a pouca distância entre a sala de espera, e a plataforma de ordenha: nos demais sistemas, o animal é colocado em situação de estresse ao ter que caminhar por até 20 m em fila indiana.

A otimização da rotina de trabalho e o fluxo natural das vacas na plataforma reduzem os custos de mão de obra.

Quando há queda na produtividade individual, as tecnologias desse sistema permitem o acesso às informações do animal, auxiliando na rápida identificação dos problemas relacionados à saúde, de forma a minimizar perdas e aumentar a lucratividade.

(Fonte: blog Boi na Rede)