Legislativo aprova reposição salarial abaixo da inflação

Sessão aconteceu na manhã de quinta-feira, sem ouvir a categoria

Por Willian Rafael 03/06/2016 - 10:00 hs

Cauê Florisbal

 

 

A Câmara de Veradores de Charqueadas aprovou, no último dia 26 de maio, o reajuste salarial para os servidores municipais. Por unanimidade, os vereadores aprovaram uma a reposição salarial de 3,58% para este mês e mais 3,92% para o mês de dezembro. O mesmo índice foi dado aos vereadores, prefeito, vice-prefeito e secretários, mas a aprovação não foi unânime.

 

Baixo índice e a falta de diálogo são contestados

 

Antes da proposta do Executivo entrar em votação, vereadores de oposição contestaram o índice de reajuste abaixo da inflação e, ainda, criticaram a falta de debate e diálogo com representantes da categoria. As bancadas do PT, PSB e Rede sugeriram que a reunião, que iniciou às 11 horas da manhã, fosse transferida, mas o pedido foi negado.

- Foi feito um pedido para que a reunião fosse realizada às 19 horas, para ouvirmos o Sindicato. O oficio não foi aceito e, com isso, não ouvimos a opinião da categoria – revela Paula Ynajá Nunes (PT).

Segundo o presidente do Legislativo, José Francisco Silva (Chiquinho, PDT), o prefeito sugeriu que a votação do novo aumento fosse realizada pela manhã para que houvesse tempo do reajuste entrar na folha. Silva também afirmou que se o projeto não fosse votado a tempo, o servidor correria o risco de não receber os 3,92% em dezembro.

 

Vereadores afirmam não terem sido procurados

 

A falta de diálogo também foi cobrada pelos vereadores da situação, mas em relação ao Sindicato dos Municipários. Segundo Carlos Gilvan Pinheiro (PDT), em nenhum momento foi procurado pela categoria para tratar da reposição salarial.

Servidor de carreira do município, o vereador Fernando Araújo Nunes (PDT) cobrou do Sindicato mais agilidade nas negociações e mais comunicação com os associados.

- O Sindicato já teve épocas que não esperava o prefeito chamar para iniciar a negociação. É muito fácil vir aqui, mas porque não fizeram reunião antes? Pois não houve nenhuma reunião, não chegou nenhum convite no setor onde eu trabalho – afirma Nunes.

 

Prefeito teria prometido 10% de aumento

 

O período eleitoral, que iniciou no último dia 5 de maio, impede que o servidor ganhe um reajustes superior ao índice oficial de inflação. Segundo João Castilhos, presidente do Sindicato dos Municipários, no inicio do ano a proposta era que os servidores teriam um reajuste alarial de 10%, o que não ocorreu.

- Quando assumi a presidência do Sindicato, em março, ocorreu uma conversa com o prefeito sobre a reposição salarial, quando ele disse que pretendia dar 10% de aumento para os servidores. No mês de abril, o discurso mudou, quando foi dito que seria conforme a inflação de abril – afirma Castilhos.

Castilhos afirmou que o Legislativo não aceitou o pedido para a votação fosse adiada e os servidores analisassem melhor a proposta apresentada pelo prefeito. Em relação as próximas ações a serem tomadas pela categoria, o novo presidente revela que irá buscar o dialogo.

- O Sindicato vai tomar as medidas cabíveis. Vamos ver quais as melhores e tomar alguma ação. O Sindicato sempre irá buscar uma relação cordial com o Executivo, mas jamais abandonar ou descuidar do interesse dos servidores – conclui o presidente.

 

Aumento para cargos eletivos é aprovado por 7 a 6

 

A reposição salarial dos vereadores, prefeito, vice-prefeito e secretários municipais foi dada nos mesmos índices dos servidores, mas a aprovação não foi unânime. Votaram a favor do reajuste os vereadores Abrelino Barros, Adriano Alves, Carlos Gilvan Pinheiro e Fernando Nunes, da bancada do PDT; Ubiratan Amaral de Quadros (Bira, PMDB ) e Patrícia Ferreira da Silva (PTB). Os vereadores Arisnei Rocha, Betânia Osório e Ricardo Vargas, do Rede, Jozi Marins (Esporinha) e José Abrahão, do PSB, e Paula Ynajá Nunes, do PT, votam contra a reposição dada aos vereadores. Com o empate, o presidente do Legislativo, José Francisco Silva (Chiquinho, PDT) votou a favor e aprovou o projeto.

 

Segundo Arisnei Rocha, a bancada do Rede Sustentabilidade votou contra a reposição para os vereadores devido à crise financeira que o Município enfrenta.








Deixe seu Comentário

Os comentários de leitores, no site ou em redes sociais, não representam a opinião do Portal de Notícias e são de responsabilidade única e exclusiva de seus autores, que poderão ser responsabilizados legalmente pelo seu conteúdo.