Os bilhetes de amor matrimonial em cifrão

Ele percebeu que o bilhete que iniciava com “AMOR”, vinha com um anexo

O marido acorda pela manhã, está de folga, e vê o bilhete deixado pela esposa na geladeira, preso num ímã. Sem os óculos, enxerga apenas o título, escrito em letras grandes e maiúsculas:

“AMOR”

Animado, pega os óculos e retira o bilhete para lê-lo:


“AMOR,

“Se tu puderes, compra no supermercado:
- Papel higiênico (tá bem no fim)
- Sabão em pó
- Q’boa
- peito de frango SEM OSSO
- E mais o que marquei no panfleto (está em cima da mesa)”.

Nessa altura, ele já percebera que o bilhete que iniciava com “AMOR”, vinha com um anexo, que consistia num panfleto promocional do dito supermercado. Finalizava o bilhete:

“Beijo,

Te amo”

Pois é, assim são os bilhetes depois de casados. Durante o namoro, eles igualmente iniciam como “AMOR” e finalizam com “Beijo, te amo”, mas o texto interno muda um pouco, como vimos. Os arroubos, verbos, adjetivos e substantivos amorosos são substituídos por puro pragmatismo econômico domiciliar. No caso específico, R$ 68, 47.

Ele se arrumou e foi ao supermercado, claro, pois mulher de mau humor não costuma deixar bilhetes carinhosos pela manhã.