Tu consegues ler o que está scrto?

O Peixoto já é bem grandinho para saber que livro não se empresta

Vocês sabiam que todos os livros do Antigo Testamento foram escritos em hebraico? Tá, isso vocês até poderiam saber, mas duvido que a maioria de vocês saiba que o hebraico é uma língua cujo alfabeto não possui vogais, só consoantes. As vogais existiam na língua falada, mas não na escrita. Assim, ao ler seus textos sagrados, os hebreus identificavam quais vogais estavam implícitas pelo contexto da frase. Como eu sei disso? Ora, lendo, né.

Mais especificamente no livro A Bíblia e sua história, de Sthepen Miller e Robert Huber, que o meu colega Paulo Peixoto me emprestou. Faz um tempão, e eu não devolvi e não vou mais devolver. O Peixoto já é bem grandinho para saber que livro não se empresta. Mas esse defeito eu também tenho: emprestei uma tremenda biografia do Van Gogh pra uma colega e ela não me devolveu até hoje e não vai mais devolver, já era. Então, caro Peixoto, já era também a tua A Bíblia e sua história e, da mesma forma, A enciclopédia bíblica ilustrada do Mike Beaumont e a História eclesiástica do Eusébio de Cesaréia, nunca mais. Isso mesmo, as desculpas que te dou para não entregar são que nem as desculpas da Geórgia para mim, puro engodo.

(Tá Peixoto, pode ficar tranquilo, eu já separei os livros e vou te entregar. Era só brincadeira, eu não sou como a Geórgia [NR – Bom não brincar muito com o Peixoto, ele é do tipo que viaja pra Israel, usa camisetas das forças armadas de lá, essas coisas. Vai que ele leve a sério o troço e apareça na minha casa com uma Uzi a fim de resgatar o Eusébio de Cesaréia, né?].)

Bom, mas esse floreio todo acima era só para deixar essa crônica com cara de crônica, não de artigo. Como eu escrevia no primeiro parágrafo, os hebreus não possuíam consoantes em seu alfabeto. E tem mais: o hebraico era escrito da direita para a esquerda, ao contrário de como a gente faz atualmente. Tipo assim um mangá japonês. Tudo isso está lá, nas páginas 16 e 17 do livro do Peixoto. Grande Peixoto! Ou melhor, grnd Pxt! Ou mais melhor ainda: !txP dnrG

E agora tive uma grnd idéia: vr s vcs conseguem ler como os hbrs liam! É td uma questão de acostumar aos poucos o crbr. E vms fzr isso em diferentes níveis de dfcldd, como nas cruzadinhas: fácil, difícil e cobrão. Vou usar pssgns bblcs do Novo Testamento pr isso, as quais vocês terão d lr e identificar qs são. Dica: são todas do lvr d Mts, scrts, obviamente, em prtgs. Então vms lá:

Nvl de dfcldd fcl, onde colocarei algumas vogais pr fcltr a compreensão d contexto, scrvnd d esquerda pr a drt:
“A qst d trbt: Mstr, sbms q s vrddr e q nsns o cmnh d Ds, d crd cm a vrdd, sm t mprtrs cm qm qr q sj, prq n lhs a prnc ds hmns.
Dz-ns, ps: q t prc? É lct pgr trbt a Csr ou n? Jss, prm, cnhcnd-lhs a mlc, rspnd: Pr q m xprmnts, hpcrts? Mstr-m a md d trbt.
Trxrm-lh m dnr. E l lhs prgnt: D qm é ss fg e nscrç? Rspndrm: D Csr. Nt, lhs dss: D, ps, a Csr o q é d Csr e a Ds o q é d Ds.”

Agora vamos para o próximo nvl d dfcldd, o dfcl. Agr, ainda scrvnd d sqrd pr a direita, não vou usar as vgs:
“Cm s dv rr: Qnd rrds, n srs cm s hpcrts; prq gstm d rr m p ns snggs ns cnts ds prçs, pr srm vsts ds hmns. M vrdd vs dg q ls j rcbrm rcmpns.
T, prm, qnd rrs, ntr n t qrt, fchd prt, rrs t P, q st m scrt; t P, q v m scrt, t rcmpnsr. Rnd, n ss d vs rptçs, cm s gnts; prq prsspm q pl s mt flr sr vds.”

Finalmente, vms pr o ultimo nvl, o cbr. Agr, scrvr d drt pr a sqrd e sm vgs, cm s hbrs scrvm:
“srhns ds S: srhns sd rvrs dp mgnN; rt rzrpsd m rtvd s, rt rm m d s-rcrrb d h qrp. szpr s sD rvrs sdp N.”
Era isso. Como se saíram? Identificaram as passagens inclusas em Mateus? Espero que sim, a Palavra nunca é cultura inútil, sempre há algo especial para a gente nela. Encerro essa crônica dizendo, à maneira hebraica: !srvl s lv, txP dnrG ?hgG nV d frgb rvlvd m v t dnq :dnpsr tn ,trcs ts q rl gsnc t q s ,grG