Dificuldades alimentares na infância

Bebês e crianças podem precisar da ajuda de um fonoaudiólogo

Por Clin - Clínica Infanto Juvenil 01/11/2018 - 17:15 hs

Mayara Szortika
Fonoaudióloga-
CRFa 9845

 

A alimentação adequada, nos primeiros anos de vida, é fundamental para o crescimento, o desenvolvimento e a saúde das crianças. Ao contrário do que muitos pensam, comer não é um ato reflexo do ser humano: é um hábito aprendido a partir do nascimento, baseado nas experiências sociais, sensoriais e físicas da criança. A alimentação é um processo que depende das habilidades sensório motoras orais de cada criança.
As dificuldades alimentares na infância são extremamente comuns. Estudos mostram que a queixa de não comer está entre as principais relatadas nos consultórios, podendo atingir até 50% das crianças. O desenvolvimento das habilidades necessárias para a criança comer é gradativo e depende, além das condições orgânicas, das vivências e exposições aos alimentos. Podem precisar da ajuda de um fonoaudiólogo: o bebê/criança que apresenta dificuldade para sugar (seio ou mamadeira), apresenta engasgos ou tosse durante ou após as mamadas, tem náusea ou reflexo de vômito com a colher, rejeita alimentos em grãos, cospe os alimentos, não se interessa e/ou demonstra nojo ou medo dos alimentos, não aceita toques ou estímulos orais, entre outros. São analisados os aspectos motores, sensoriais, gastrointestinais, aspectos relacionados a refeição, a vivência e rotina alimentar. Por sua complexidade e diferentes causas, as dificuldades alimentares necessitam de suporte multiprofissional.
O momento da refeição com a família precisa ser prazeroso. É importante que a criança aprenda a gostar de comer.  Uma relação alimentar saudável é essencial para a nutrição e o crescimento. Se existir em algum momento uma mudança de comportamento a família deve procurar a ajuda profissional do fonoaudiólogo com experiência na área.