Arranha Céu - Coragem Sem Limites

Arranha Céu - Coragem Sem Limites

"The Rock" volta em cine catástrofe que mistura "Inferno na Torre" com "Duro de Matar"

Por Cinema - Marcelo Figueiró 18/07/2018 - 09:13 hs
Arranha Céu - Coragem Sem Limites
O filme novo esbanja em mais tecnologia que os antigos clássicos

Dwayne Johnson tem se consagrado pela sua enorme produção cinematográfica. Apenas neste ano estreou três blockbusters no Brasil. Ele esteve presente em Jumanji - Bem Vindo a Selva, Rampage - Destruição Total e agora protagoniza Arranha-Céu - Coragem Sem Limite (Skyscraper, EUA, 2018). É uma trajetória bastante ativa, principalmente se imaginarmos que o ator iniciou sua carreira como jogador de futebol americano e lutador profissional. O avanço é maior ainda se lembramos que sua estreia no cinema foi como um monstro mal desenhado em o Retorno da Múmia. O bicho seria o Escorpião Rei, para os mais otimistas. Na verdade parecia um personagem de videogame antigo. Nem isto fez com que Dwayne deixasse de crescer na carreira.

Aposentadoria Impossível

Em seu terceiro filme do ano, The Rock, como também é conhecido, nos traz o thriller de ação "Arranha-Céu - Coragem Sem Limite". A fita trata-se de um cine catástrofe sobre um atentado ao maior prédio do mundo, localizado em Hong-kong. Na película, Dwayne Johnson vive Will Sawyer, um super especialista em avaliações para seguradoras. O profissional é um veterano de guerra aposentado, que após um desastre perdeu uma das pernas. Após o acidente ele passou a avaliar a estrutura de prédios, para empresas de seguros milionários.

Um parque vertical

Consolidando sua carreira, Ford é contratado para analisar o gigantesco arranha-céu Pérola. O prédio é duas vezes maior que o Burj Khalifa, de Dubai, e três vezes maior que o Empire State, de Nova York. A estrutura é tão grande que possui mais de duzentos andares; hélices com turbinas, para a geração da própria energia; um parque ecológico; área comercial enorme e uma esfera com projeção holográfica da cidade na cobertura.

Fogo no céu

Ao ser contratado Will passa a dispor de um apartamento para a família na recém inaugurada área residencial do prédio. Também ganha o acesso a todo edifício através de um tablet de reconhecimento facial. Este lhe possibilita ter controle de toda estrutura, para analisá-la completamente. Logo que sua família se instala no edifício, um grupo de mercenários estrangeiros invade o prédio, coloca fogo em um dos andares e tenta invadir um apartamento blindado onde se encontra o dono do arranha-céu. Junto com ele estão vários segredos da construção.

Escalando a Torre

Quando o fogo inicia, Will está fora do prédio. Este logo é interditado pela polícia. Agora o ex-combatente tem de encontrar uma forma de entrar na estrutura, salvar sua família e os segredos do Pérola. Também precisa reiniciar o sistema de contenção de incêndio para recuperar o edifício. Para isto terá que enfrentar a polícia de Hong-Kong, vários mercenários, e principalmente, armadilhas gigantescas, que só o maior arranha céu do mundo poderia apresentar. Certamente a força da gravidade, e as vertigens provenientes da grande altura, serão os maiores adversários de Dwayne Jonhson nesta aventura.

Jardins Suspensos

O filme possui várias coisas interessantes, a primeira delas certamente é o próprio prédio. Altamente tecnológico, fica claro que muitas inovações apresentadas, como a câmara em 3D, da cobertura, as turbinas de energia, ou o parque suspenso, ainda não foram desenvolvidas, mas estão sendo pensadas por nossos pesquisadores e pode estar presentes na próxima esquina temporal.

Incluindo o perigo

Também é interessante a tentativa do roteiro em valorizar políticas de inclusão, ao apresentarem um protagonista que precisa usar a prótese de uma perna para caminhar. Talvez o esforço nesta direção fosse melhor se o ator realmente fosse uma pessoa que possui esta dificuldade. Mas assim não teríamos The Rock no papel principal. Então vale a pena aceitar os efeitos especiais, elaborados com tela verde, e pensar que valeu a intenção.

Pânico nas alturas

Outra situação interessante do filme é o reaparecimento da atriz Neve Campbel, da franquia Pânico (1996/1997/2000/2011), que interpreta a esposa de Will, Sarah Sawyer. Além de ser divertido rever uma heroína da nossa adolescência, ela divide igualmente o espaço de ação com Dwayne. Sarah apresenta-se como uma leoa, que defende os dois filhos entre chamas, mercenários, e muita fumaça. A garota atua bem diferente das mocinhas que precisam ser protegidas, nos filmes deste gênero.

Inspiração de Altos Clássicos

Embora não seja anunciado, está claro que o tom de Arranha-Céu é uma mistura de dois clássicos sobre dificuldades em edificações. A parte do incêndio se espalhando nos remete diretamente para "O Inferno na Torre" (1974). Já a parte da invasão dos mercenários é muito parecida com os acontecimentos do primeiro "Duro de Matar" (1988).

Nada supera o passado

O filme novo esbanja em mais tecnologia que os antigos clássicos. Mesmo assim, não consegue ter o mesmo impacto no espectador que os originais. "Inferno na Torre" vem de uma época onde todos os efeitos eram práticos e o roteiro tinha de ser bom suficiente para superar possíveis falhas. Já "Duro de Matar" prende os espectadores com a carismática atuação de Bruce Willis, como o policial John MacLaine, que nos faz sentir as dificuldades que ele está passando. Dwayne Jonhson é um ator querido, mas ainda precisa aprender muito para chegar perto de Willis.

Tocando as estrelas

De qualquer forma, Arranha Céu é um bom filme para se passar algumas horas. Tem um elenco querido do público, efeitos razoáveis, uma estrutura de cenários grandiosos e ação do início ao fim. Esperamos que esta obra continue fazendo a carreira de Dwayne Johnson crescer tanto quanto possível. Se pensarmos que ele iniciou no futebol americano e agora interpreta vários sucessos do cinema, podemos afirmar que tocar as estrelas será apenas uma consequência de sua caminhada. Se "The Rock" consegue alcançar o céu, tenha certeza, qualquer um de nós pode. Dwayne e Arranha Céu valem pela diversão e, principalmente, pela inspiração.          

Trailers

https://youtu.be/uWuPUoB4Pas

https://youtu.be/2PQrVmenL2U

https://youtu.be/r8KlxpjXZeI