JOÃO ADOLFO GUERREIRO | O bolo de aniversário da Aline

Informação e boas ideias podem salvar vidas

Uma amiga, a Aline, fez aniversário agora no final de maio, há poucos dias. Essa foto aí é a do bolo. Só ela e a Lúcia, sua mãe, em casa. Tempos de pandemia, né. Ela postou as fotos dos comes & bebes - usando essa expressão entrego a minha idade (mas a tua não entregarei, Aline) - em seu perfil no Facebook. Ah, essas redes sociais, são uma mão na roda - outra expressão démodé -, possibilitam uma interação impossível em anos de antanho.

O pessoal vai lá, posta felicitação, coisa e tal. Torna pública a comemoração. Uma rede social é uma janela para o mundo ou, na definição do escritor Luís Augusto Fischer, o pátio da escola ampliado. Pode ser - e é - as duas coisas, de fato. E a mensagem da Aline em seu aniversário, para o mundo e para o pátio da escola, foi uma mensagem de altruísmo e solidariedade. Fiquem em casa. Adorei, tudo a ver, Aline.

Ficando em casa, usando internet para compras e outras coisas possíveis, não espalhamos o vírus e, além de tudo, não expomos ainda mais os profissionais que prestam atendimento físico seja no comércio, no setor de serviços, na segurança pública e, principalmente, na saúde, área vital. Dá para fazer praticamente quase tudo online atualmente. Incluir virtualmente as pessoas em nossa comemoração de aniversário, como a Aline fez, é uma delas. Claro, comer o bolo entra nas situações abrangidas pelo "quase".

Dessa forma, mantemos acesa a economia local e aumentamos vagas de emprego via demandas de tele-entrega. O único grupo social que, devido ao analfabetismo digital, ainda se vale do jeito antigo de fazer as coisas, é o dos idosos, justamente o principal grupo de risco na pandemia. Uns moram sozinhos, mas outros, mesmo com os jovens da família tentando resolver as questões do cotidiano online, são resistentes, por uma questão de concepção, de visão de mundo ultrapassada. Infelizmente isso acontece, em muitos casos, nessa perigosa anormalidade transitória pela qual passamos.

Olha aí, falando do aniversário da Aline, acabei escrevendo sobre a pandemia, também. Difícil escapar do tema. Por outro lado, é mesmo hora de dizer coisas úteis, face a gravidade do momento - e isso é uma ação edificante em qualquer época. Informação e boas ideias podem salvar vidas, ajudando a construir uma consciência coletiva positiva, assim como fez o bolo de aniversário da Aline virtualmente socializado numa rede social. Parabéns atrasado, Aline.

Fiquem todos em casa, fiquem todos com Deus. Aguardemos esperançosos os resultados dessa vacina que o Reino Unido está testando para podermos retomar com segurança, num futuro quiçá próximo, nossos hábitos cotidianos.