FILMES & SÉRIES | 1917

Plano sequência coloca o espectador nas trincheiras da primeira guerra

Por Filmes & Séries - Marcelo Figueiró 24/01/2020 - 15:53 hs

A Segunda Guerra Mundial, acontecida entre 1939 e 1945, foi um evento gigante. A maioria dos filmes sobre conflitos tem ela como inspiração. Não é para menos, o combate ao Eixo Nazi/Nipo/Fascista trouxe ao mundo histórias absurdas como a invasão da Europa, o extermínio de oito milhões de judeus, a destruição de Pearl Harbor, a única utilização de bombas atômicas (em combate) que se tem notícia. A Segunda Guerra foi tão gigantesca que eclipsou as barbaridades do conflito anterior, a Primeira Guerra Mundial. Essa durou de 1910 até 1918. O confronto foi menor, mas igualmente sangrento. É sobre este período que trata o filme “1917”, uma grande obra sobre a época. A película concorre a dez prémios da Academia de Cinema de Los Angeles, neste ano.



MARCHA SOLDADO

Na história de 1917, dois soldados são convocados para atravessar o campo inimigo e encontrar um batalhão de 1600 homens que está prestes a atacar a linha Hindenburg, no norte da França, ocupada por alemães. O alto comando do exército inglês precisa que os dois soldados alcancem o batalhão perdido, pois este não possui nenhuma comunicação via rádio ou cabo. O grupo no front de batalha está prestes a invadir Hindenburg, acreditando que os alemães abandonaram suas áreas.



ALÉM DO HORIZONTE

No entanto, aviões aliados descobriram outra situação. Na verdade, os germânicos apenas fizeram uma retirada estratégica. Eles se posicionaram atrás da linha Hindenburg, com grande quantidade de armamento e explosivos. O comando não vê como o batalhão inglês possa sobrepujar a força dos alemães naquele ponto.



CRUZANDO A LINHA

Logo os dois soldados são enviados para depois das últimas trincheiras britânicas. Um incentivo a mais para seguir adiante é que o irmão de um dos militares está no batalhão ameaçado. Os dois deverão invadir sozinhos as trincheiras alemãs e atravessar a área tomada pelo inimigo. Na jornada enfrentarão armadilhas em bunkers, exércitos inteiros, franco atiradores, aviões da Luftstreitkräfte e estarão sempre perto da morte. O caminho é difícil, mas precisa ser percorrido. Se a missão não for cumprida quase dois mil ingleses marcharão para a morte certa.



DENTRO DA TRINCHEIRA

Ao expor o cenário de Guerra, o filme é uma perfeição. É a obra que melhor consegue passar como era realmente a vida nas trincheiras, tão utilizadas na Primeira Guerra Mundial. Os caminhos, rente a terra, eram enormes. É interessante ver o filme no cinema para ter toda a dimensão disto. As trincheiras não eram simples esconderijos, mas lugares onde os homens dormiam, mal se alimentavam, enfrentavam gases tóxicos e, principalmente, esperavam até a hora certa de avançar.

OLHARES LIGADOS

Mesmo os cenários sendo grandiosos, não são eles que mais chamam atenção no longa. O destaque vai para um detalhe extremamente técnico. Toda a fita acontece em um plano sequência. As imagens aparentemente não possuem corte. A câmera nunca abandona um dos protagonistas em toda a trama. A continuidade inicia na primeira cena, quando acordam os dois soldados e só acaba no final da película. Isto é muito interessante, mas também traz alguns problemas. A vida, mesmo num campo de batalha, tem alguns respiros, que precisam ser colocados no filme, diminuindo a ação. Diferente de “O Resgate do Soldado Ryam” (1998), onde percebe-se claramente as fases da película, nesta obra é quase como se estivéssemos vivendo momentos reais com os personagens.



MOCINHOS E BANDIDOS

1917 é uma obra prima que tem todo o direito de chegar ao Oscar. Na corrida pela estatueta ainda torço pelo filme do vilão Coringa, mas não ficarei infeliz se o filme dos soldados conseguir vencer o prêmio da academia. Digo isto porque é um filme eminentemente criativo. Ele foca na Guerra Mundial menos propagada, usa recursos absurdamente realistas para mostrar a vida nas trincheiras e apresenta uma inovação técnica para os filmes de guerra, que é o plano sequência. Se for para o vilão da DC perder a premiação, que seja para este filme de heróis de verdade. Afinal eles garantiram que nosso mundo hoje possa viver com um pouco mais de paz, liberdade, democracia e principalmente humanidade.

ELENCO, CITAÇÕES E REFERÊNCIAS

Soldado Will Schofield - George MacKay, Capitão Fantástico, 2016
Soldado Tom Blake - Dean-Charles Chapman,  O Passageiro, 2018
Capitão Smith - Mark Strong, Shazam, 2019
Tenente Leslie - Andrew Scott, Sherlock, Desde 2010
Tenente Joseph Blake - Richard Madden, Rocketman, 2019
General Erinmore - Colin Firth, O Discurso do Rei, 2010
Coronel Mackenzie - Benedict Cumberbatch,  Doutor Estranho, 2016
Sargento Sanders - Daniel Mays, Efeito Dominó, 2008