FILMES & SÉRIES | Watchmen

HBO consegue emular clima do gibi e relógio volta a bater

Por Filmes & Séries - Marcelo Figueiró 14/11/2019 - 09:04 hs

Nos anos oitenta duas histórias em quadrinhos modificaram totalmente o gênero. A primeiro foi “Batman - O Cavaleiro das Trevas”, de Frank Miller, e a segunda foi “Watchmen”, escrita por Alan Moore e desenhada por Dave Gibbons. Cavaleiro das Trevas foi importante pois mostrou que super-heróis também podiam ser violentos e ter complexos reprimidos. Nada mais justo para um justiceiro que passou a combater o crime após ver o assassinato dos pais e, por causa disto, continuou o resto da vida socando bandidos. Já Watchmen mostrou que vigilantes mascarados também podiam ser humanos, na mais completa acepção da palavra, sem deixarem de ser violentos, óbvio.



INVASORES DO TEMPLO


Watchmen funcionou tanto que em dado momento seu criador, Alan Moore, passou a não reconhecer nada que viesse a ser feito a partir da minissérie inicial, de doze capítulos. Cada vez que a proprietária do título, a DC Comics, tentava lançar um derivado de Watchmen, Alan Moore conseguia um nicho da imprensa para desancar críticas aos invasores de sua obra-prima. A língua de Moore não conseguiu impedir a evolução de sua obra. Nos últimos anos foi feito um filme para Watchmen (2009), uma continuidade da série em quadrinhos, intitulada Before Watchmen (2012), e recentemente seus personagens foram integrados ao universo regular da DC, tendo que conviver com Super-homem, Mulher Maravilha e companhia. A maior profanação do templo está acontecendo agora, com a série live-action, “Watchmen”, que está à disposição na HBO, e para azar de Mr. Moore é muito boa.



REUNINDO A TURMA

Para entender a série da HBO, antes é preciso contar um pouco da história original de Watchmen. Em seu gibi, super-heróis e vigilantes eram comuns nos Estados Unidos da primeira metade do século passado. No entanto, não passavam de seres humanos fantasiados, que combatiam o crime. Num primeiro momento, por volta da década de 1940, houve grupo chamado Minuteman. Mais tarde outro apareceu, apelidado Watchmen. Estes heróis foram pensados por Moore como seres humanos normais, com todas as deficiências de nossa realidade. Existia uma heroína que se chama Violeta. Esta desejava mais buscar holofotes do que combater o crime. Havia também um sádico, aproveitador de mulheres de nome Comediante, um psicopata de nome Rorsarch, um encapuzado patrocinado por uma empresa bancária de nome Dollar Bil, e por aí vai.

A LUZ SE FEZ

Como os heróis eram seres humanos normais, eles também cometiam erros comuns, ao contrário do que é visto nos quadrinhos atuais. Nisto um deles morre por que sua capa se enrolou numa porta giratória, outro tem uma dor de barriga e precisa deixar o vilão fugir e um terceiro acaba estuprando uma de suas colegas de equipe. Tudo muda quando finalmente a Terra ganha um superser de verdade, o Dr. Manhatan. Este era Dr. Jon Osterman, um grande físico, filho de um relojoeiro, que se envolveu em um acidente de laboratório, ficando preso dentro de um separador de átomos. Jon foi completamente desintegrado e, depois do acidente, conseguiu reconstruir seu corpo, parte a parte, até ressurgir como um ser de pele azul brilhante. O Doutor Manhattan conseguia rearranjar completamente as moléculas, transformando elementos e objetos em outros, completamente diversos.



SEM VIGILANTES

Graças aos poderes de Manhatan, na década de setenta, os Estados Unidos, daquele universo, ganharam a guerra do Vietnã. A tecnologia também avançou devido a interferência do superser. Já na década de oitenta o país tinha apenas carros elétricos pois ele transformou matéria em lítio. O mesmo poder, que garantiu estas vitórias, fez que todos os vigilantes passassem a ser proibidos. Não existia necessidade deles. Pior que isto, a União Soviética acirrou as adversidades com o Tio Sam, pois Manhatan se apresentava como uma arma mais poderosa que qualquer bomba atômica.

O PLANO PERFEITO

Nisto Ozymandias, outro super-herói, intitulado o homem mais inteligente (e rico) do mundo, realiza um grande plano para impedir a eminente guerra entre as superpotências nucleares. Ele envolve todos os Watchmen aposentados numa trama que joga um monstro mutante gigante (Lovercraftiano) em cima de Nova York. A ideia de Ozymandias era que a possível ameaça alienígena uniria a humanidade para se defender. No filme de 2006, o monstro foi substituído por uma explosão nuclear. Independentemente da versão, a estratégia da certo, matando milhares de pessoas, mas salvando o mundo.



ANOS MAIS TARDE

Trinta anos mais tarde começa a série “Watchmen” da HBO. A emissora decidiu não mexer na história contada por Moore, mas contá-la a partir do seu final. A trama acontece nos dias atuais. Posteriormente a invasão do monstro, o diário de Rorsarch, foi publicado. Nele era contado todo o plano maluco de Ozymandias. A divulgação do Diário não teve credibilidade por parte da população, mas criou um grupo de lunáticos, a Sétima Kavalaria. Estes são supremacistas brancos, vindos da Klu Klux Klan, que usam máscaras iguais às de Rorsarch.

A KAVALARIA CHEGOU

Em dado momento a Kavalaria organiza um grande atentado a vários policiais, chamado de "A noite branca". Isto fez com que fosse permitido aos agentes da lei atuarem mascarados, para protegerem a identidade de suas famílias, e praticamente retornando os costumes anteriores ao aparecimento do Dr. Manhatan. Alguns anos após isto, o Chefe de polícia de Tulsa aparece assassinado e a policial Sister Nigth precisa se unir a antiga Violeta, para descobrir o que está acontecendo, trazendo de volta todos os elementos de Watchmen. Enquanto a investigação avança, Ozymandias espreita, tentando fugir de sua prisão.




CHUVA DE OVOS

A série, como um bom produto da HBO, é extremamente bem-feita. Ela consegue transpor o espectador com perfeição para o mundo de Watchmen dos gibis. O melhor de tudo são os easter-egss. Já nos primeiros capítulos você acompanha uma chuva de lulas pequenas. Estas estariam surgindo de fendas dimensionais, derivadas da invasão alienígena, orquestrada por Ozymandias. Também é possível ver que agora a polícia utiliza veículos como a nave do Coruja, outro personagem do gibi. Já os humanos continuam com carros elétricos e fazendo ligações para o Dr. Manhatan, em Marte, em cabines especiais que se encontram pelas ruas.

CLIMA NOIR E FILOSOFIA DE BAR

Nem só de easter eggs vive Watchmen. A série elabora um clima policial muito bom.  A interação de Violeta com Sister Nigth, o confronto do novo com o antigo, é cativante. Também as tiradas inteligentes dos personagens como “Quem vigia os vigilantes”, continuam presentes, mesmo que não sejam escritas por Alam Moore. A participação de astros experientes, como Jeremy Irons, no papel do enclausurado Ozymandias, ou de Louis Gossett Jr, como o vilão centenário Will Reevest, também ajuda bastante a dar credibilidade a história.

QUEM TE VIU, QUEM TE VÊ

É muito interessante que as histórias em quadrinhos, um veículo que era considerado subcultura, hoje seja base para as maiores bilheterias do cinema e esteja fazendo séries de TV milionárias, derivadas de seu cânone. Antes o Gibi não podia entrar na sala. Agora os produtores, para utilizá-lo, não podem tocar em suas orientações. Certamente, Alan Moore não deve estar gostando de terem mexido em seus brinquedos novamente. Ao menos deve estar feliz por terem respeitado os limites que ele impôs a sua história. Que Hollywood continue assim, respeitando os quadrinhos e todas as outras mídias que se utilizar, mantendo o seu espirito original. Se continuarem atuando desta forma, tenho certeza que tanto a crítica, quanto os fãs, aprovarão as derivações de Watchmen e outros que vierem. Desta forma relógio das boas produções audiovisuais continuará tocando por muito tempo ainda. Tic, Tac, Tic, Tac...

ELENCO, CITAÇÕES E REFERÊNCIAS

Angela Abar/Sister Night - Regina King, Se a Rua Beale Falasse, 2018
Laurie Blake/ Violeta II - Jean Smart, Fargo, Desde 2014
Chefe de Polícia Judd Crawford - Don Johnson, Django Livre, 2012
Adrian Veidt /Ozymandias, Jeremy Irons, Duro de Matar 3: A Vingança, 1995
Will Reeves - Louis Gossett Jr. , Raízes, 1977
Wade Tillman /Looking Glass, Tim Blake Nelson, Quarteto Fantástico, 2015

Red Scare - Andrew Howard, Sem Limites, 2011