Não existem novos recursos orçados para a duplicação da BR-290

Não existem novos recursos orçados para a duplicação da BR-290

Obra será retomada para construção da interseção com a ERS-401, no acesso a Charqueadas, com recursos de apenas R$ 13 milhões

Por Portal de Notícias 09/02/2018 - 18:18 hs
Foto: Divulgação
Não existem novos recursos orçados para a duplicação da BR-290
Obras serão retomadas para construção da interseção com a ERS-401

O Governo Federal não tem novos recursos orçados para dar prosseguimento às obras de duplicação da Rodovia BR-290, no trecho entre Eldorado do Sul e Pantano Grande, que foi dividido em quatro lotes e estão paralisadas desde 2016.

Segundo reportagem da Atualidade Rádio e Portal, de Butiá, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) informou que no lote 1 as obras estão sendo retomadas para a execução da interseção da BR-290 com a ERS-401, no acesso a Charqueadas. A previsão é de oito meses para a conclusão dos serviços, que têm recursos disponíveis na ordem de R$ 13 milhões. Segundo a reportagem, o Dnit informou que todas as licenças já foram liberadas para o lote 1. A obra estava paralisada por problemas na regularidade cadastral do consórcio contratado, mas as pendências foram resolvidas em janeiro deste ano. A execução dos serviços está liberada no trecho entre o km 128,6 e km 131,7, incluindo a interseção da BR-290 com a RS-401. A obra foi adequada ao recurso disponível.

Já para os lotes 2 e 3, nas cidades de Arroio dos Ratos, Butiá e Minas do Leão, não existe previsão de retomada das obras e também não tem recurso orçado. No lote 4, em Pantano Grande, as obras do viaduto estão em andamento, pelo menos até o término dos recursos disponíveis. Os recursos disponíveis para este lote são de R$ 16,5 milhões, suficientes para a conclusão do viaduto no perímetro urbano de Pantano Grande.

Para toda a extensão do trecho a ser duplicado a previsão de recursos para todo o ano de 2018 é de apenas R$ 2,7 milhões a serem distribuídos nos quatro lotes, insuficiente para qualquer ação.

A obra de duplicação, inicialmente orçada em R$ 765,3 milhões, recebeu até agora investimentos que somam R$ 51,3 milhões. Conforme o Dnit, no Lote 1 foram investidos somente R$ 1,29 milhões e faltam R$ 191 milhões. No lote 2 foram investidos R$ 16,6 milhões e ainda faltam R$ 198 milhões. O lote 3 recebeu R$ 15 milhões e ainda faltam R$ 180 milhões. O lote 4 foi o que recebeu o maior volume de recursos: já foram investidos R$ 18,5 milhões e faltam ainda R$ 145 milhões.

Além da falta de recursos no orçamento para as obras de duplicação, outro problema é a manutenção da rodovia. O Dnit esclareceu que do km 112,30 ao km 317,30, conta com um contrato de manutenção e conservação desde outubro de 2017, porém, os recursos liberados pelo Governo Federal são insuficientes.

Expectativa frustrada

O lançamento das obras de duplicação da BR-290 causou grande expectativa com a possibilidade de reduzir o número de acidentes com mortes e, também, diminuir o tempo de viagem até a capital. A movimentação de maquinas em três dos quatro lotes sinalizava não só para a geração de empregos, como para a solução definitiva dos graves problemas de uma rodovia importante, mas defasada. No entanto, a alegria do início das obras deu lugar à incerteza, desconfiança e descrédito da população.

 

O esgotamento da capacidade do trecho de Pantano Grande a Eldorado do Sul, que foi dividido em quatro lotes, tornou frequentes os acidentes e ocasionou dezenas de mortes. A BR-290 - Rodovia do Mercosul - não suporta mais o volume de veículos que transitam diariamente, principalmente neste trecho que deveria ser duplicado.