Jeronimense alcança meta de doadores de sangue

Família solicita que doações agora sejam feitas para o Hospital São Jerônimo

Por Portal de Notícias 13/08/2019 - 16:49 hs
Foto: Arquio Pessoal
Jeronimense alcança meta de doadores de sangue
Família de Caio (2º D) consegiu o número de doadores necessários

Graças à grande corrente de solidariedade que se formou após o anúncio de que o jeronimense Caio Miller Trainini precisava de doadores de sangue, a meta foi alcançada em apenas três dias de campanha.

Caio é filho da advogada jeronimense Laura Miller e do médico Luiz Carlos Trainini, e irmão do professor de Administração da Ulbra, Marco Miller Trainini, e da jornalista Carla Miller Trainini, colaboradora do Portal de Notícias.
O pedido de ajuda foi feito pela família devido ao Hospital Santa Casa, em Porto Alegre, necessitar das bolsas para repor o estoque de sangue que será utilizado quando Caio conseguir o novo rim compatível para fazer o transplante, procedimento que poderá acontecer a qualquer momento.
Aos 43 anos ele realiza hemodiálise três vezes por semana e retornou à fila de espera pelo órgão depois de 10 anos do primeiro transplante.

DOAÇÕES DE SANGUE PARA O HOSPITAL SÃO JERÔNIMO

A família agradece a todos que se sensibilizaram com a causa e pede aos que se prontificaram a doar sangue, que não desistam do ato de altruísmo e destine a doação para o Hospital São Jerônimo (HSJ).
A doação poderá ser feita na próxima terça-feira (27), quando os voluntários serão conduzidos ao Hemocentro do Estado do Rio Grande do Sul (Hemorgs), em Porto Alegre, em parceria com a Expresso Vitória, que disponibilizará ônibus e motorista gratuitamente para conduzir os voluntários. Para tanto, quem estiver disposto a continuar ajudando, basta entrar em contato pelo fone (51) 3651-8545, das 8h às 17h, ou pelo Facebook do Hospital São Jerônimo.

UMA PERGUNTA
POR QUE DOAR SANGUE?

A doação de sangue e seu processamento são fundamentais para garantir a disponibilização de componentes sanguíneos para os pacientes que necessitam de transfusão, como vítimas de acidentes, que necessitam de cirurgias ou outras situações clínicas. Segundo o Ministério da Saúde, se cada pessoa saudável doasse sangue pelo menos duas vezes por ano, não seriam necessárias campanhas emergenciais para coletas de reposição de estoques. O sangue não tem substituto e, por isso, a doação voluntária é fundamental. Uma simples doação pode salvar muitas vidas. Toda pessoa em boas condições de saúde pode doar sangue sem qualquer risco ou prejuízo à sua saúde.