Dirigentes do IFSul emitem nota sobre consequências do bloqueio orçamentário

Diversas atividades ficam temporariamente suspensas

Por Portal de Notícias 14/05/2019 - 19:17 hs
Foto: Reprodução / Internet

Os recentes cortes no orçamento das instituições federais promovido pelo Governo Jair Bolsonaro gerou diversos protestos e manifestações em todo o país. No IFSul, instituição federal que possui 14 câmpus no estado, incluindo a cidade de Charqueadas, os cortes foram de 37,1% no custeio e 62,4% nos investimentos.
Diante disso, o Colégio de Dirigentes do IFSul (Codir) emitiu uma nota oficial sobre as consequências dos cortes. Segundo a nota, “o impacto desse bloqueio obriga a adoção de medidas temporárias de contenção ou suspensão das seguintes despesas: realização de eventos, diárias e passagens, monitorias e estágios remunerados, apoio financeiro à qualificação, visitas técnicas, aquisição de materiais de consumo e equipamentos, bolsas com fomento próprio e auxílio a servidores e estudantes para participação em eventos, novas obras e instalações, bem como drástica redução nos contratos de prestação de serviços e nas despesas com encargos de cursos e concursos”.

LEIA A NOTA NA ÍNTEGRA

O Colégio de Dirigentes do IFSul (Codir), composto pelos diretores-gerais dos 14 câmpus, pró-reitores e reitor, diante do cenário de bloqueio orçamentário anunciado pelo Ministério da Educação e que, para o IFSul, representa 37,1% de custeio e 62,4% de investimento, estabelece ações que se fazem imprescindíveis para manter o funcionamento da Instituição, tentando honrar sua missão de oferta de educação pública, gratuita e de qualidade, ampliando as possibilidades de inclusão e desenvolvimento social.
O impacto desse bloqueio obriga a adoção de medidas temporárias de contenção ou suspensão das seguintes despesas: realização de eventos, diárias e passagens, monitorias e estágios remunerados, apoio financeiro à qualificação, visitas técnicas, aquisição de materiais de consumo e equipamentos, bolsas com fomento próprio e auxílio a servidores e estudantes para participação em eventos, novas obras e instalações, bem como drástica redução nos contratos de prestação de serviços e nas despesas com encargos de cursos e concursos. Todas essas medidas poderão ser revistas mediante reversão do atual cenário de bloqueio orçamentário.
Ressalta-se que, levando em consideração as especificidades das unidades administrativas do IFSul, outras ações poderão ser implementadas. Cabe mencionar que, apesar da adoção de todas essas medidas, não há garantia de manutenção das atividades até o final do presente ano.
O Colegiado repudia veementemente o bloqueio orçamentário do governo federal na esfera educativa e tem clareza do impacto negativo dessas ações nas comunidades. No entanto, apesar do desafio imposto pela conjuntura político-econômica, mantém-se firme e ativo na tentativa de reverter o cenário imposto para continuar honrando seu compromisso com a sociedade.
Passo Fundo, 14 de maio de 2019.