Projeto de alunos do IFSul Charqueadas é medalha de prata na Romênia

O projeto Lembrar foi o primeiro projeto brasileiro a chegar à final mundial da Infomatrix

Por Portal de Notícias 16/05/2018 - 17:20 hs
Foto: Arquivo Pessoal
Projeto de alunos do IFSul Charqueadas é medalha de prata na Romênia
Cássio Lacerda da Costa, Eduarda Soares Serpa Camboim e Maurício Escobar

No final de semana passado, na cidade de Bucareste, capital da Romênia, os alunos do IFSul Charqueadas Cássio Lacerda da Costa e Eduarda Soares Serpa Camboim, acompanhados do professor orientador Maurício Escobar, apresentaram o projeto “Lembrar: software auxiliar de estímulo à memória para portadores de transtornos neurodegenerativos”. Eles participaram da final mundial da Infomatrix e conseguiram a segunda colocação, recebendo a medalha de prata.
A Infomatrix é uma das maiores feiras mundiais de ciências, e neste ano foram avaliados 339 projetos de 43 países. Em sua 16ª edição, esta foi a primeira vez que um projeto brasileiro participa da etapa final. O projeto Lembrar foi apresentado em português, espanhol e defendido em inglês diante de uma banca.
- A responsabilidade foi enorme. Todos os desafios foram encarados por essa dupla, Eduarda e Cássio, que mostraram, mais uma vez, a paixão pelo projeto e a capacidade de superação. Eles trouxeram, dessa vez, medalha de prata, mas, mais do que isso, um grande aprendizado e experiência para suas vidas – disse o professor Maurício Escobar.

Trajetória
Para chegar à final mundial da Infomatrix o projeto passou por várias etapas. Foi primeiro colocado na categoria informática na Mocitec 2017, em Charqueadas, e terceiro colocado na categoria Ciência da Computação na Mostrarob 2017. Depois, o projeto obteve a segunda colocação da 32ª Mostratec 2017, obtendo o credenciamento para a Infomatrix Latinoamérica, no México. Com o primeiro lugar conquistado no México, na categoria desenvolvimento de softwares, obteve o credenciamento para a Infomatrix Mundial, na Romênia.

O projeto
 “A tecnologia vem sendo muito utilizada para tratamentos de doenças neurodegenerativas, obtendo grande importância no ramo da medicina. Doenças neurodegenerativas são aquelas nas quais ocorre destruição progressiva e irreversível de neurônios, as células responsáveis pelas funções do sistema nervoso, sendo a Doença de Alzheimer a mais comum entre todas. Dados da Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAz, 2012) informam que existem cerca de 1,2 milhão de casos da doença em todo o país, sendo que apenas 50% desses procuram algum tipo de tratamento. Visto isso, esse projeto pretende auxiliar as pessoas portadoras de transtornos neurodegenerativos que se relacionam diretamente com a perda de memória e/ou à regressão da capacidade de raciocínio lógico e cognitivo, desenvolvendo um software que, através de exercícios personalizados, ajude a retardar ou aliviar ao máximo os principais sintomas dessa doença, apresentando atividades voltadas para o desenvolvimento/exercitação da memória do indivíduo e assim ajudando os portadores da doença e aqueles ao seu redor. Realizando uma pesquisa inicial para aprimoramento acerca do conceito da doença de Alzheimer, foi feita uma revisão bibliográfica para definição de conceitos que encadearam o projeto. Após isso, com base nos conhecimentos na área da programação, foram empregadas as linguagens JAVA e SQL para realização do software na plataforma Mobile, utilizando os laboratórios disponíveis no campus para desenvolvimento do mesmo, resultando em um sistema repleto de exercícios que estimulam as reações cognitivas dos usuários. Estimulando a atenção, concentração e, principalmente, a memória do indivíduo, o software é capaz de auxiliar no tratamento dos sintomas, exercitar o sistema cognitivo e ocupar a mente com inúmeras atividades que, de acordo com seu uso, tem seus resultados coletados na área de rendimento, onde é possível analisar e comparar os efeitos dos exercícios. O projeto vem auxiliando pessoas específicas, para quais o software foi disponibilizado, que sofrem de transtornos neurodegenerativos, retardando a perda de memória e diminuindo a regressão da capacidade de raciocínio lógico e cognitivo de acordo com as atividades propostas, onde usuários e familiares já relatam uma melhora no diminuição dos sintomas dessa doença. Palavras chaves: Transtornos Neurodegenerativos, Estímulo à memória e Doença Alzheimer.”