Inaugurado videomonitoramento na PEJ

Foram investidos R$ 333 mil na instalação de 70 câmeras na casa prisional

Por Portal de Notícias 16/04/2018 - 16:07 hs
Foto: Rodrigo Ziebell/SSP
 Inaugurado videomonitoramento na PEJ
O sistema utilizará 70 câmeras na vigilância de apenados dos regimes fechado e semiaberto

A Penitenciária Estadual do Jacuí (PEJ) conta, a partir desta segunda-feira, 16, com um moderno sistema de videomonitoramento, que utilizará 70 câmeras na vigilância de apenados dos regimes fechado e semiaberto. A inauguração da sala de operações ocorreu nesta manhã e contou com a presença do secretário da Segurança Pública, Cezar Schirmer.

A partir da sala de operações, é possível monitorar a movimentação no interior da penitenciária e ao longo do perímetro externo de segurança, garantindo que eventuais arremessos sejam evitados ou flagrados em tempo de efetuar a prisão em flagrante dos responsáveis. Para Schirmer, este é um dos melhores exemplos do uso da tecnologia em prol da Segurança Pública.

- As câmeras irão substituir o ser humano em uma função auxiliar, otimizando recursos e potencializando o trabalho nas mais diversas frentes - afirmou.

Seguindo o comandante-geral da Brigada Militar, coronel Andreis Silvio Dal`lago, a iniciativa, que é fruto do trabalho e da parceria entre a Brigada Militar, Poder Judiciário, Ministério Público e Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), vai auxiliar o trabalho realizado pelos policiais militares na PEJ, assim como já ocorre na Cadeira Pública de Porto Alegre (CPPA).

Na CPPA, o videomonitoramento está em operação desde 2015. Graças ao sistema, foi possível flagrar o policial militar tentando impedir a apreensão de drogas arremessadas para o interior da unidade prisional. O episódio ocorreu no último sábado, 14. O PM foi detido e será submetido a todos os trâmites da Justiça Militar.

Parceria com o Poder Judiciário

O projeto foi idealizado pela direção da PEJ em agosto de 2017. A aquisição e a instalação dos equipamentos foram possíveis graças ao aporte de R$ 333,4 mil feito pela Vara de Execuções Criminais (VEC) de Novo Hamburgo. As obras iniciaram em dezembro de 2017, supervisionadas pelo Departamento de Engenharia Prisional da SUSEPE.

O juiz responsável pela VEC de Novo Hamburgo, Carlos Boschang Jr., lembrou o apoio das comarcas atendidas pela vara, no sentido de colaborar para o melhor funcionamento da casa prisional.

- Sabemos das dificuldades de se administrar uma casa prisional. Faz-se necessária a colaboração. As câmeras irão auxiliar em muito na elucidação de ocorrências internas, a partir da identificação dos responsáveis por qualquer atividade irregular dentro da PEJ - disse.

A concretização de mais uma parceria firmada com o Poder Judiciário foi saudada pelo secretário Cezar Schirmer. Segundo ele, a relação com os magistrados tem sido profícua, norteada pela cooperação mútua, em prol da sociedade.

- Este é apenas um dos momentos em que pudemos confirmar a disposição dos juízes e desembargadores em ajudar o sistema prisional - enfatizou.

Histórico

No dia 14 agosto de 2017, a Direção da Penitenciária Estadual do Jacuí, verificando a necessidade de se investir em segurança, encaminhou ao Poder Judiciário um projeto para instalação de um sistema de videomonitoramento.

O projeto teve grande aceitabilidade dos magistrados das Varas de Execuções Criminais de Novo Hamburgo e pelo Ministério Público Estadual, e, após os trâmites legais recebeu aprovação.

Os trabalhos para implantação do Sistema iniciaram no dia 21 de dezembro de 2017 e foram concluídos no dia 12 de abril de 2018.

Foram instaladas 70 câmeras de videomonitoramento com tecnologia de ponta, possibilitando que a Penitenciária Estadual do Jacuí atinja um nível mais alto de segurança interna, se destacando no cenário regional.

As câmeras foram distribuídas em pontos sensíveis, escolhidos por profissionais com larga experiência no sistema penitenciário, fornecendo ao operador maior operacionalidade e melhor aproveitamento no controle do público alvo.

A implantação do sistema possibilitará o monitoramento da casa prisional durante 24h, com as imagens podendo ser acessadas inclusive por qualquer aparelho celular que esteja cadastrado e autorizado. A central também possui recurso de armazenamento das imagens captadas durante um prazo de 30 dias. Estas imagens estarão disponíveis para atender às solicitações das autoridades, auxiliando na elucidação e prevenção de delitos no interior da casa.

O sistema de videomonitoramento será integrado à Agência Local de Inteligência, sendo mais um mecanismo eficaz e tecnológico para o levantamento de dados e produção de conhecimento. A Agência já faz um trabalho de análise das facções no interior das principais casas prisionais, produzindo e atualizando os painéis com imagens dos apenados líderes destas facções, assessorando a direção da casa e o escalão superior.