IECPAC encera as atividades em Butiá

Baixo número de alunos e alta taca de inadimplência levaram à decisão

Por Portal de Notícias 27/10/2017 - 15:59 hs
Foto: Divulgação
IECPAC encera as atividades em Butiá
IECPAC encerra atividades no final do ano letivo

Na semana passada a CNEC Corporativa, em Brasília, decidiu pelo fechamento do Instituto de Educação Cenecista Professor Alcides Contes (IECPAC), a partir do próximo ano letivo. A decisão foi comunicada à comunidade escolar na manhã de sexta-feira, 20.

Alguns dos motivos para o fechamento são o baixo número de alunos, inadimplência acumulada ao longo dos últimos três anos e os preços da concorrência do mercado privado educacional.

A continuidade das atividades, segundo o comunicado da CNEC. “foi prejudicada em função das estatísticas demográficas e econômicas do município; dos preços praticados pela concorrência do mercado privado educacional; da relação entre número de alunos, corpo técnico-pedagógico e administrativo e segmentos ofertados; da inadimplência acumulada ao longo dos últimos três anos e de relatórios de visitas técnicas realizadas pela equipe da Mantenedora em todos os municípios”. No comunicado, a escola se coloca à disposição para auxiliar na recolocação e adaptação dos alunos em outras instituições.

Segundo o ex-secretário municipal de Educação e ex-diretor da escola, José Maria Medeiros, o encerramento das atividades da escola começou quando o Instituto entrou para a rede Cenecista.

- O anúncio do fechamento do IECPAC faz passar um filme em nossa mente. Ali fui aluno, professor e diretor. Assumi a Direção em 2007. Foram dias de luta, união e comprometimento entre funcionários, professores, Conselho Escolar e pais. Entreguei em 2014 com 354 alunos e encerramos um Projeto Jovem Trabalhadores em parceria com o Ministério do Trabalho e Prefeitura Municipal que rendeu aos cofres da CNEC valores significativos. Mas a escola não encerra as suas atividades agora, começou a encerrar quando deixou de ser Alcides Conter e se chamou CNEC Butiá; começou a encerra as atividades quando apostilou; começou a encerrar quando centralizou e colocou mensalidades elevadas; encerrou quando deixou de ser comunitária; encerrou quando perdeu a identidade de rede Filantrópica – disse Medeiros.

Segundo o vereador Joel Maraschin (PMDB), os vereadores estão formando uma Frente Parlamentar em Defesa do IECPAC. A comissão já está em contato com o Departamento Jurídico da CNEC Nacional visando uma reunião em Brasília, na sede da mantenedora. O objetivo do encontro será tentar que a decisão seja revista e, se for irreversível, que sejam dadas alternativas para que não seja fechada a escola.