Fórum Gaúcho de Arborização Urbana acontece em Charqueadas

Racionalizar a distribuição das espécies evita problemas na infraestrutura

Por Portal de Notícias 15/09/2017 - 13:24 hs
Foto: Cauê Florisbal
Fórum Gaúcho de Arborização Urbana acontece em Charqueadas
Plantio desordenado de espécies inadequadas ao meio urbano causam prejuízios

O município de Charqueadas sedia o IX Fórum Gaúcho de Arborização Urbana, evento que iniciou ontem e se encerra nesta sexta-feira, 15, no salão de eventos do Centro Administrativo Manoel de Souza João (antigo Sesi).

O Fórum é a instância estadual de aperfeiçoamento e discussão da temática das árvores urbanas, que influenciam enormemente na qualidade de vida das cidades, e muitas vezes são negligenciadas pela população e até pelo Poder Público. O encontro acontece anualmente, abrangendo gradualmente todas as regiões do estado do Rio Grande do Sul.

Segundo Fernanda Colovini, bióloga da Secretaria de Meio Ambiente de Charqueadas, é possível ter uma cidade que tenha boa qualidade de vida sendo arborizada e urbanizada ao mesmo tempo.

- Nós temos que entender que podemos conviver com a arborização e os benefícios que ela trás. Precisamos adaptar o meio antrópico com a vegetação que é natural, pois não é preciso entrar em conflito. Existem técnicas que podem melhoras esta convivência da arborização com a qualidade de vida que ela pode trazer para o cidadão e o cidadão com qualidade no meio urbano – destaca.

O diretor do Instituto de Pesquisas Hidráulicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), Carlos André Bulhões Mendes, abordou o tema “Árvores, estruturas e eventos extremos”. Mendes falou sobre a importância de ordenar o plantio de árvores para evitar que o clima e os locais ou espécies impróprias gerem transtornos para a população.

- No momento que chove muito, ou acontece um vendaval, e há muitas árvores na cidade elas se embaraçam no meio de fios, no chão, e atrapalham a infraestrutura urbana. No ano passado, um forte vendaval destruiu parte do Parque Marinha do Brasil, em Porto Alegre, e deixou milhares de pessoas sem água e sem energia durante alguns dias. É preciso dar uma racionalidade sobre tudo isso, sobre os ricos à estrutura pública, abastecimento de energia, calçadas, pois as pessoas têm dificuldades de locomoção devido às raízes que levantam – exemplificou Mendes.

O Fórum prossegue hoje, com um aulão (confirma a programação no quadro)

Sexta-feira - 15 de setembro

AULÃO

- 8h30min - Desmitificando a Vistoria Técnica – Biólogo Flavio Barcelos de Oliveira

- 9h15 - Debates

- 9h45 - Coffee break

- 10h - Técnicas de Manejo Vegetal de acordo com a Norma Técnica ABNT NBR 16.246-1 – Biólogo João Augusto Bagatini

- 11h30 - Debates

- 12h - Ato de Encerramento

- 12h10min às 13h30min - Intervalo para almoço

- 13h30min - Visita Técnica ao Bairro Aços Finos Piratini e à Reserva Particular do Patrimônio Nacional - RPPN Porto Capela

*Vagas limitadas: 40 lugares (inscrições no evento)

 

- 16h30min - Término das Atividades