Suicídio: série alerta que os pais devem observar mudanças no comportamento dos filhos

Pediatra ressalta que a relação com os filhos deve ser aproximada

Por Portal de Notícias 08/09/2017 - 13:39 hs
Foto: Divulgação / Netflix
 Suicídio: série alerta que os pais devem observar mudanças no comportamento dos filhos
Pais de Hannah Baker não imaginavam que ela cometeria suicídio

Os pais da personagem Hannah Baker, do seriado 13 Reasons Why, disponível para assinantes NetFlix, nem imaginavam que a menina pensava em tirar a própria vida e ficaram muito surpresos e chocados quando ela cometeu suicídio. A série norte-americana virou moda entre os jovens e alerta para debates sobre bullying, depressão e suicídio. Além disso, mostra que os pais podem estar com um adolescente com problemas dentro de casa sem perceber. O pediatra do Comitê de Desenvolvimento e Comportamento da Sociedade de Pediatria do RS (SPRS), Renato Santos Coelho, destaca que os adultos devem observar o comportamento dos filhos e procurar ajuda quando notar que a outra pessoa está agindo de maneira incomum.

- Este tema viralizou nas nossas redes sociais e na mídia. Vieram para provocar reflexões sobre como nossos filhos estão distantes de nós e ao mesmo ao nosso lado, e não conseguimos saber o que estão pensando e quais são seus sentimentos e sofrimentos. A nós, pais, cabe aproveitar a provocação para olharmos para o nosso dia a dia, nossas rotinas. O momento é oportuno para retomar essa responsabilidade, que nunca podia ter saído de nós ou deixarmos que fosse terceirizado para as escolas, e olharmos para nossos filhos e conversar com eles. Assuntos variados, abertos e sem crítica ou julgamento e com a intenção de estar ao lado, de forma compreensiva e continuada - afirma Renato Santos Coelho.

O pediatra explica que a morte é um assunto de muito interesse entre os jovens.

- Este tema não é uniforme durante o ciclo vital de qualquer um e é na adolescência que se torna mais frequente, devido ao luto necessário a ser feito da infância que está ficando para trás. Esta tão conhecida crise da adolescência se apresenta como um terreno fértil para imaginar como seria a nossa morte. A questão é: como uma adolescente apresenta estes dilemas e este sofrimento sem nenhum adulto, ou pessoa mais próxima, perceber que o outro não está bem - relata.

O pediatra aconselha que é essencial perceber pequenos sinais de alerta nos jovens e não hesitar em procurar ajuda profissional para saber conduzir preocupações.

 

Observar sinais de alerta nos jovens desta fase

- Isolamento exagerado no seu próprio quarto, respeitando que nesta idade eles gostam e precisam ter estes momentos, mas intercalado com momento de convívio agradável e compartilhado com o resto da família;

- Uma perda de prazer em fazer qualquer coisa, com falta de planejamento de coisas novas. Nada agrada!

- Perda da relação com os amigos ou a ausência deles;

- Pouca ou nenhuma vontade de sair, fazer esportes ou atividade externa com amigos ou familiares;

- Interesses exagerados por seitas religiosas que incentivam o isolamento. O uso de rituais repetitivos

- Perda de apetite e/ou emagrecimento exagerado, com suspeita de estar usando drogas. Considerar álcool e maconha como duas drogas capazes de alterar o senso crítico e o risco em desencadear uma doença psiquiátrica grave, a esquizofrenia, em adolescentes predispostos geneticamente;

- Falta de higiene pessoal exagerada e dos cuidados pessoais (cabelos, unhas e roupas);

- Agressividade e rompantes impulsivos de agressão desproporcionadas;

 

- Insônia exagerada.