Servidores e estudantes vão às ruas contra o parcelamento de salários

Manifestações e greve de professores marcam mobilização promovido pelo governo Sartori

Por Portal de Notícias 08/09/2017 - 13:28 hs
Foto: Cauê Florisbal
 Servidores e estudantes vão às ruas contra o parcelamento de salários
Manifesto de quarta-feira, no Centro de Charqueadas

Cauê Florisbal

Nesta semana, na segunda e quarta-feira, estudantes e professores da rede pública de Charqueadas e São Jerônimo saíram às ruas para protestar contra o parcelamento de salários dos servidores estaduais promovido pelo governo José Ivo Sartori.  Em Charqueadas, protestos organizados por servidores da Susepe (Amapergs), professores e estudantes (União Municipal dos Estudantes de Charqueadas – UMEC) foram realizados na segunda e quarta-feira.  Em São Jerônimo, o protesto foi da Escola Estadual Castro Alves, na manhã de quarta-feira.

Na manhã da última segunda-feira, 4, manifestantes bloquearam a Rua Rui Barbosa, em frente à agência do Banrisul de Charqueadas.  Os estudantes e professores estiveram na prefeitura e realizaram um ato na esquina das avenidas 1º de maio e Bento Gonçalves, no Centro da cidade. Além de questionar o parcelamento, os professores reivindicam melhorias nos salários, que estão defasados, sem reajuste real, nos últimos anos.

- A sociedade deve pensar um pouco mais nos professores. Estamos em uma situação de não conseguir ter nem o básico ou para pagar medicamentos. Eu trabalho quarenta horas e não tenho vergonha de dizer que dependo do meu marido. Que legado vamos deixar para a juventude se ficarmos calados? Não estamos satisfeitos e não vamos trabalhar em regime de servidão – disse Araci Moreira, professora da escola Cruz de Malta, de Charqueadas.

 

Greve geral

Em todo o estado, escolas da rede estadual de ensino entraram em greve por tempo indeterminado, sem previsão de término. A adesão é total em algumas escola e parcial em outras.  A categoria pede o pagamento integral dos salários, já que na semana passada foram depositados apenas R$ 350 nas contas dos servidores, o menor depósito em 21 parcelamentos, e não houve outros pagamentos antes do feriado de ontem.

 

Caso de Polícia

 

Como forma de protesto, professores de diversas partes do estado têm registrado boletins de ocorrência contra o governador José Ivo Sartori por crime de responsabilidade administrativa. Eles cobram o cumprimento de uma liminar judicial que determina o pagamento integral dos salários. O governo do estado, no entanto, diz que o pagamento integral dos salários deve ocorrer até o dia 13 de setembro.