Câmara de Charqueadas cria Frente Parlamentar em Defesa do Polo Naval do Jacuí

Proposta da vereadora Rosângela Dornelles (PT) foi aprovada por unanimidade

Por Portal de Notícias 12/05/2017 - 15:37 hs
Foto: Banco de dados
 Câmara de Charqueadas cria Frente Parlamentar em Defesa do Polo Naval do Jacuí
Estaleiro da IESA está ocioso

Na sessão da Câmara de Vereadores de Charqueadas da última terça-feira, 9, a vereadora Rosângela Dornelles (PT) apresentou pedido de criação da Frente Parlamentar em Defesa do Polo Naval do Jacuí. A proposta foi aprovada por unanimidade. O fato de a Petrobras estar novamente tratando sobre o Polo Naval de Rio Grande fez com que vereadora apresentasse o pedido de aproveitamento da estrutura naval existente em Charqueadas.

- Essa questão do Polo Naval está sendo discutida novamente na Petrobras. Existe um novo processo da retomada do Polo Naval de Rio Grande e o de Charqueadas não pode estar de fora – afirma.

Em abril, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, foi criada uma frente parlamentar que trata deste tema, mas o Polo Naval do Jacuí não foi inserido nas pautas de trabalho, lideradas pelo deputado Nelsinho Metalúrgico (PT). Segundo a vereadora, após este equívoco, foi pedido ao deputado federal Henrique Fontana (PT) que agregue o Polo Naval do Jacuí nas pautas de uma frente nacional, criada na Câmara Federal no início do mês de maio.

- Aconteceu um erro estratégico na Assembleia Legislativa do Estado e nós ficamos de fora. Mas, uma vez que o Polo de Rio Grande seja acionado, nós temos aqui em Charqueadas uma planta que pode ser agregada – destaca a vereadora.

 

CDH do Senado debate situação dos polos navais no Brasil na próxima segunda-feira

 

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) vai debater, na próxima segunda-feira, 15, a situação dos polos navais no Brasil, especialmente o do Rio Grande do Sul. O requerimento é do senador Paulo Paim (PT-RS).

No início do mês, vários senadores se manifestaram pela retomada dos investimentos da Petrobras para viabilizar a conclusão de uma nova plataforma de petróleo, que está sendo construída no Polo Naval do Rio Grande do Sul. As demissões no polo naval se acentuaram após denúncia de corrupção envolvendo a empresa que administra o principal estaleiro, a Engevix Construções Oceânicas, investigada pela Operação Lava Jato.

Entre os convidados estão o prefeito do município de Rio Grande, Alexandre Lindenmeyer; o deputado estadual Nelsinho Metalúrgico (PT-RS); o vice-presidente da Federação dos Metalúrgicos do RS, Ênio Santos; a auditora fiscal do trabalho Alline Bessa de Meneses e a representante do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Margarete Gandini.

A reunião será interativa e os cidadãos poderão participar por meio do portal e-Cidadania e do Alô Senado (0800612211). A audiência será realizada na sala 6 da ala Senador Nilo Coelho.

 

Entenda

A Iesa Óleo & Gás foi a primeira empresa a se instalar no Polo Naval de Charqueadas para a montagem de módulos replicantes para plataformas de petróleo. Devido ao grande volume de dívidas, acabou entrando com pedido de recuperação judicial e encerrou as operações no município, demitindo cerca de mil trabalhadores e provocando uma série de prejuízos na cidade.

Outras empresas, como UTC e Tomé Engenharia, que chegaram a anunciar investimentos no município, acabaram não concretizando a instalação depois que a Polícia Federal deflagrou a Operação Laja Jato. Apenas a Metasa está operando no município, utilizando as instalações desapropriadas da Usina Jacuí 1, outro empreendimento que naufragou no município.