Estado e Prefeitura de Charqueadas assinam convênio para videomonitoramento

Com a assinatura, a Brigada Militar (BM) assume o controle das câmeras de vigilância instaladas na cidade

Por Portal de Notícias 10/05/2017 - 13:09 hs
Foto: Cauê Florisbal
Estado e Prefeitura de Charqueadas assinam convênio para videomonitoramento
Prefeito Simon Heberle e o secretário Cezar Schirmer assinam o convênio

O secretário estadual de Segurança Pública, Cezar Schirmer, e o prefeito Simon Heberle assinaram, na quarta-feira, 10, no Palácio Piratini, convênio entre o Município de Charqueadas e o Governo do Estado que permite que a Brigada Militar (BM) assuma o controle das doze câmeras de videomonitoramento instaladas em oito pontos na cidade.

Obtidas por meio de uma parceria entre Consepro, CDL, Prefeitura, Câmara de Vereadores e Poder Judiciário, as câmeras estão instaladas e funcionando desde o mês de dezembro do ano passado, a um custo de R$ 10,8 mil por mês. Desde então, o Município esperava que o secretário assinasse o convênio, mas questões burocráticas retardaram o processo, impedindo monitoramento 24 horas pela BM.

O sistema de monitoramento será interligado ao Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), localizado na sede da SSP, na Capital. Esse modelo de parceria faz parte da metodologia adotada pela Pasta, que prevê a utilização máxima da estrutura, tornando-a uma central de monitoramento de abrangência estadual.

Segundo o coronel Paulo Ricardo Quadros Remião, comandante do CRPO Centro Sul, há a intenção de estender este serviço para toda a região.

- O videomonitoramento de Charqueadas está dentro de uma ideia de realizar esse serviço em toda a região Carbonífera, tendo a base operacional na sede do 28º Batalhão da Brigada Militar - revela.

Segundo Quadros, com a assinatura as câmeras já começam a ser operadas pela BM. Caberá ao Estado garantir os recursos humanos necessários para a operação do sistema. Os servidores destacados serão capacitados e assinam um termo de compromisso da utilização das imagens estritamente para a atividade policial.

Para Nairo Delfin Mirapalheta, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), com a BM assumindo o serviço, a cidade terá mais segurança.

- Isso é resultado de um trabalho iniciado há dois anos e esperamos por essa assinatura há quatro meses. O monitoramento das câmeras vai melhorar a segurança do nosso município e ajudar o trabalho da Brigada Militar e da Polícia Civil. Com essa assinatura, toda a comunidade de Charqueadas ganha em relação à segurança – afirma Delfin.

Após a assinatura do convênio, o secretário Cezar Schirmer pediu desculpas pelo atraso na assinatura do convênio:

- Em nome do Governo do Estado, eu quero pedir desculpas, pois é inaceitável essa demora – disse Schirmer.

Neste período de espera, diversas lideranças políticas e do comércio local se mobilizar na tentativa de agilizar a assinatura.

O prefeito Simon Heberle destacou a mobilização da comunidade para o investimento e o trabalho da Brigada Militar.

- Só temos a agradecer. O esforço coletivo é um reflexo do reconhecimento do trabalho que a Brigada desempenha e da sua responsabilidade com relação à segurança dos cidadãos - destaca Heberle.

Também participaram do ato o vice-prefeito, Edilon Lopes; o secretário de Administração, André Souza; o vereador Rafael Divino; o diretor da Federação dos Servidores Públicos do RS, Cristiano Fortes; o representante do Consepro, João Hermes Nascimento, o presidente da Subsessão da OAB, Endrigo Durgante; e o tenente André Castro.

 

Presídio Federal não depende mais do Estado

 

Durante a assinatura do convênio, o presidente da CDL questionou o secretário sobre a instalação ou não do presídio federal em Charqueadas.

Em março, o Governo do Estado informou ao ministro da Justiça, Osmar Serraglio, que o Município de Charqueadas havia sido escolhido para receber o primeiro presídio federal do Rio Grande do Sul - uma obra orçada em R$ 60 milhões e com capacidade para abrigar 210 presos. Porém, no mês passado, o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) rejeitou a área oferecida, junto à Colônia Penal Agrícola (CPA).

Schirmer disse que a vontade do Governo do Estado é que o complexo seja em Charqueadas, mas isso já não depende mais do Palácio Piratini.

 

- Se depender do Governo do Estado e, também, da minha opinião o presídio seria em Charqueadas. Já foi feito de tudo para levar para lá, mas não depende de nós e sim do Governo Federal. Não está nada decidido ainda – disse Schirmer.