31ª Gincana de Charqueadas começa no sábado

Por Portal de Notícias 17/03/2017 - 16:36 hs

Neste sábado, 18, as equipes Tamo Nessa por Cerveja (TNC), Grupo de Risco (GR) e Só Pra Nós (SPN) sobem ao palco para escolha do rei, rainha e melhor espetáculo da 31ª Gincana de Charqueadas. O espetáculo inicia às 21 horas, no Parque Adhemar Faria (Parcão).

 Segundo Diego Lopes, presidente da TNC, este ano a equipe vai apresentar um espetáculo diferente dos últimos anos, voltando realizar uma apresentação na linha teatral, como era tradição da equipe. Segundo Lopes, os integrantes da equipe estão motivados para vencer, principalmente os novos membros, que estão motivados na busca da 19ª estrela.

Fábio Ferreira, presidente da GR, destaca o crescimento e qualificação dos diversos setores da equipe. Ferreira enaltece o empenho do elenco para o baile e está confiante nos integrantes de sua equipe para esta gincana.

Para Cris Avila, integrante da diretoria da SPN, esse ano foi atípico devido à perda do presidente Rodrigo Amengual. Segundo ela, esse fato uniu a equipe e, além disso,  tudo que está sendo feito hoje foi planejado por Amengual.

 

Ordem das apresentações

Rainha: SPN, TNC e GR

Rei: TNC, GR e SPN.

Espetáculo: GR, SPN e TNC.

 

Cronograma do evento

18/03 - Escolha do Rei | Rainha | Show | Torcida | 21h | Parcão
25/03 – Desfile | 20h | Parcão 
26/03 - Domingo Esportivo | 10h | Parque de Eventos
01/04 - Tarefas
02/04 - Encerramento

 

__________________________________________________________________________

 

 

Equipe: Grupo de Risco

Rei: Rodrigo Medeiros

Rainha: Bruna Caldas

Tema: Sobre deuses e mortais - Uma história costurada entre o céu e a terra

 Sobre Deuses e Mortais – Uma História Costurada Entre o Céu e a Terra elabora um encontro literário que ressalta o jogo de poder e os rompimentos entre os deuses e os mortais. Assim, para construir essa história que hoje é encenada pela equipe Grupo de Rico (GR), uma história que busca refletir sobre o jogo do poder e suas consequências nefastas, Pedro Delgado buscou inspiração em arquivos como: mito das moiras (criaturas que criam, tecem e cortam o destino), mito de Hades (deus da Terra dos mortos e seu amor por sua esposa Perséfone), mito de Orfeu e Eurídice, (Um amor que tem passagem e resgate na Terra dos mortos), mito de Medéia (sua vingança em relação à traição sofrida por seu marido Jasão onde a mesma decepa a cabeça dos dois filhos e manda-as de presente ao marido), mito do Velocíno de Ouro (um carneira cuja lã é de ouro que vive em Cólquida, antiga cidade grega), mito de Cronos (deus do tempo, representado nessa história por figuras vestidas de preto que auxiliam nas passagens cênicas e nos deslocamentos cenográficos), mito dos argonautas (bravos navegadores cujo Jasão é o líder), e no conto A Bela Adormecida, (Irmãos Grimm). O espetáculo tem início com uma narrativa introduzindo a história que será representada seguida do surgimento do deus Cronos representado por um coro de homens vestindo preto, ocultando o próprio rosto. Na sequência surgem as três moiras.   Láquesis (que tece o fio da vida), é a que conduz as ações num contraponto com sua irmã Átropos (a que corta o fio da vida). A trama constrói uma estética que tem início após Láquesis ser desafiada por Zeus (deus do Olimpo), que, insatisfeito, reclama e desafia as habilidades da mesma no que se refere as construções dos corpos das criaturas humanas. Desafiada, Láquesis decide revidar e desafia Zeus criando uma princesa dotada de toda a sorte possível. No entanto, para que seu propósito se conclua, Láquesis dedica a maior parte de seu tempo a tecer os fios da vida da princesa fazendo com que os corpos das outras crianças sejam construídos de forma descuidada e sem maior importância. Átropos, portanto, insatisfeita com o descuido da irmã, em relação a criação dos novos corpos humanos, decide cortar o fio da vida da princesa mandando-a prematuramente ao Hades. Láquesis, no entanto, após o fio da vida da princesa ser cortado, decide ir ao Hades busca-la de volta, entretanto, ela sabe que só conseguirá negociar com o Hades se levar junto um fio de ouro da lã do Velocíno e que somente Jasão, líder dos argonautas, conseguirá trazer o Velocíno de ouro até ela. Assim, essa cria uma tempestade fazendo com que a fúria da mesma jogue a embarcação dos argonautas numa ilha habitada por uma tribo de mulheres sacerdotisas de Medéia. Elas cultuam as cabeças de seus filhos antes de serem enviadas aos maridos que as traíram. Assim, Jasão e Medéia, bem como as sacerdotisas e os demais argonautas se encontram num misto de luta e jogo de sedução onde as mulheres são vencedoras. Láquesis, porém entra em cena novamente e num jogo ritualístico de feitiçaria liderado por Medéia induz Jasão a trazer o Velocíno de ouro até ela. De posse da lã do carneiro, Láquesis, Medéia e Jasão partem para o Hades para buscar a princesa. No Hades, Perséfone, (humana, esposa do próprio deus Hades), zela pelo sono da princesa, presente que lhe fora dado pelo marido. Hades, ao sentir-se desafiado por Láquesis a devolver a princesa, devolve os dois filhos de Medéia, ambos também zelados até então por Perséfone. Um dos filhos de Medéia lhe é entregue como um príncipe enquanto que o outro surge como um bobo da corte. Perséfone, diante de um forte sentimento humano, intervém junto ao marido para que esse devolva a princesa ao mundo dos vivos. Movido pela paixão que sente pela esposa, Hades a atende, mas impõe algumas condições para que a princesa volte. Assim, a princesa retorna ao mundo dos vivos e reencontra-se com seu príncipe num final “talvez“ feliz.

 

 

Equipe: Só Pra Nós

Rei: Tainan Lopes

Rainha: Juliane Poeta 

Tema: As 7 memórias de Griza: uma história dos JellicleCats

 A Equipe Só Pra Nós chega em 2017 com tons de Renovação. O espetáculo que vai para o palco no próximo dia 18 busca integrar aquilo que a equipe tem de melhor com novos aspectos técnicos e coreográficos trazidos pela equipe de criação.Em “As 7 Memórias de Griza: uma história dos JellicleCats”, o universo dos gatos mais famosos do teatro contemporâneo ganha um novo capítulo, agora no palco de Charqueadas/RS. A história se passa em um beco onde, há décadas, vivem os JellicleCats, uma espécie de gatos única na Terra que integra magia e mistério a todas as peculiaridades que são dos felinos por natureza. Os Jellicles são aqueles que vivem na noite, sob o breu da madrugada e a luz do luar. Vão e voltam em patas dançadas e miados cantados, fazem magia que ninguém vê e desafiam os piores inimigos com os seus dons.  Em meio a esse bando, a aventura começa quando a gatinha Griza, após perder o seu pai, recebe a coleira de Mestre Jellicle, o líder protetor do bando. O Mestre Jellicle é o gato que, de 10 em 10 anos, sobe aos céus em um ritual sagrado para buscar sete vidas para os gatos da espécie que ainda seguem vivos na Terra.Porém, ainda filhote, uma desventura acontece: Grizadecide fugir sem pensar nas consequências, buscando dias e noites de liberdade em meio aos humanos na cidade grande. A partir daí, o bando Jellicle vive tempos de abandono, sem Mestre, proteção e vulnerável aos perigos do mundo, ao mesmo tempo em que Griza conhece de perto as maldades do mundo dos homens. 7 anos depois, a única gata que um dia deixou o bando decide voltar para o beco de onde partiu ainda pequena.Agora adulta, a gata encontra seus dois irmãos, Macavy e Madeleine, agora como dois gatos sonsos e maquiavélicos, transformados por uma amargura criada pela sua partida. Com o tempo, tornaram-se os novos líderes do bando assumindo as rédeas do beco e construindo tempos de discórdia e descrença entre os gatos. Desacreditada no que via, Griza chegava em um beco mudado, onde havia agora uma tristeza dançada e um sentimento de vingança no olhar de cada irmão de raça.É sobre as memórias da fuga, do retorno e dos principais momentos de duelo e amor genuíno vividos pela gata fugitiva que a história se desenrola. Com um misto de mistério e surpresas temperado por um segredo capaz de mudar totalmente o rumo da fábula, que a Equipe Só Pra Nós busca ganhar o público em 2017. Com um elenco técnico trazendo a linguagem dos musicais da Broadway como linha criativa inspiradora, a equipe apresenta a dança e o canto integrados com sintonia, em uma história com início, meio e um grande fim. Bailarinos ricos em expressão ganharão a cena mostrando ao público o resultado de um processo que vivem há 4 meses para incorporar traços, gestos e curvaturas felinas. Na trilha sonora, clássicos da obra de Andrew Lloyd Webber nos ajudam a viajar nesse universo, embalados também por sucessos do jazz contemporâneo e do gospel. Na cenografia, o conceito eco chega para inovar o palco da Gincana de Charqueadas, combinado com um figurino totalmente alinhado à obra inspiradora. Convidamos a todos para ingressar nessa história conosco e juntos viajarmos com a gataGriza nesse, que promete ser um espetáculo mágico, completo e sensível, assim como os gatos que nos inspiraram.

 

 

Equipe: Tamo Nessa Por Cerveja (TNC)

Rei: Alison Cabral

Rainha: Isabela Belló

Tema: O mito de Perséfone: a força do feminino e a fertilidade do mundo

 A Equipe TNC mergulhou fundo na sua própria história para encontrar a temática que melhor representasse os trinta anos de dedicação e participação na Gincana de Charqueadas e após reviver várias memórias, constatou que o “elemento” mais importante para representar o tema da Equipe TNC para a edição da gincana de 2017 seria o “Feminino”; Desvelando suas próprias integrantes, avós, mães, filhas, mulheres que sempre com muita força estiveram à frente de desafios e conquistaram seus espaços, e lutando pela dignidade de seus protagonismos e o simples direito de escolha. Mergulhando na mitologia grega encontramos o mito de Perséfone e a partir dele desenvolvemos uma pesquisa aprofundada sobre a relação entre Perséfone e a sua Mãe Deméter e os mistérios da terra.Uma encenação dedicada a todas as mulheres da Equipe TNC. A todas as mulheres do mundo! Essas que fazem a roda da vida girar!Evoé!