Plástico verde desenvolvido em Triunfo está sendo usado pela Nasa

Tecnologia nasceu no laboratório do Polo Petroquímico e material foi criado a partir da cana-de-açúcar

Por Portal de Notícias 09/11/2016 - 17:04 hs
Foto: Divulgação
Plástico verde desenvolvido em Triunfo está sendo usado pela Nasa
Tecnologia foi desenvolvida no Polo Petroquímico de Triunfo

Um plástico verde desenvolvido por uma empresa brasileira, a Brasken, está sendo usado no espaço pela Nasa. Os astronautas produzem peças na Estação Espacial Internacional (EEI) usando uma matéria-prima que tem as mesmas características do plástico convencional, mas foi criada a partir de uma planta.

No espaço, em gravidade zero, a astronauta usa objetos de um plástico feito de cana-de-açúcar no Brasil. Chamado de plástico ou polietileno verde, essa matéria-prima foi levada para a EEI através de um convênio com a Nasa. Lá, usando uma impressora 3-D, os exploradores produzem peças e fabricam as ferramentas de que precisam reduzindo o tempo e o custo de esperar que um foguete leve esse equipamento da Terra.

A tecnologia que está sendo usada no espaço nasceu em um laboratório do Polo Petroquímico de Triunfo. A ideia era criar plástico a partir de uma fonte renovável, no caso, a cana-de-açúcar. E os pesquisadores chegaram até esse produto, que tem as mesmas características do plástico tradicional.

Ele é flexível, resistente e reciclável. Pode ser moldado pela indústria usando as mesmas máquinas que processam o plástico vindo do petróleo. Mas tem uma grande vantagem: como vem de uma planta, ele ajuda a reduzir a emissão dos gases do efeito estufa.

- O plástico convencional, o polietileno de fonte fóssil, ele vai emitir, em média, duas toneladas de CO2 por cada tonelada de polietileno. O verde captura 2,78 toneladas de CO2 para cada tonelada de polietileno verde - diz Fernando Almada, gerente comercial de polietileno verde.

A produção, de 200 mil toneladas por ano, ainda é pequena. Só o Brasil consome cinco milhões de toneladas de plástico tradicional. Mas a unidade, a única no mundo que faz o plástico de cana de açúcar, continua desenvolvendo novas aplicações para o material. É que a procura cresce mais de 10% ao ano, aqui na Terra mesmo.

- A sociedade, hoje, está demandando mais produtos de fonte renovável. Então, eu vou ter embalagens para cosméticos, vou ter embalagens para alimentos, vou ter diversas aplicações na indústria automotiva, tais como tenho para o plástico convencional - diz Fernando Almada.