Intervenções da Terapia Ocupacional no desenvolvimento infantil

Por Clin - Clínica Infanto Juvenil 06/10/2017 - 14:53 hs

Valéria Boeira Pacheco Braz

Terapeuta Ocupacional - CREFITO 3665

 

O Terapeuta Ocupacional é o profissional da saúde que tem por objetivo favorecer o desempenho ocupacional das pessoas nas mais diversas áreas de sua vida, com o máximo de independência e autonomia possíveis. Quando falamos em bebês e crianças, as principais áreas relacionadas são as Atividades de Vida Diária, a Educação, o Brincar e as Relações Interpessoais. Por diversas razões, que podem ser limitações físicas, cognitivas, do ambiente, ou questões emocionais, transtornos de processamento sensorial, entre outras, as crianças podem ter dificuldades em desempenhar estas atividades e necessitar do apoio do Terapeuta Ocupacional.

O desenvolvimento infantil compreende alguns aspectos principais: crescimento, maturação, desenvolvimento. O crescimento está relacionado ao tempo cronológico e aos marcos de altura, peso, perímetro cefálico. A maturação diz respeito às questões biológicas, com a formação e as modificações que ocorrem nas estruturas anatômicas e morfológicas em nosso corpo, e são influenciadas pelas experiências vividas, do ponto de vista cognitivo, emocional, motor, social. Quando falamos em desenvolvimento, nos referimos à aquisição de aspectos funcionais, como a linguagem, as habilidades motoras, cognitivas, sociais, emocionais, que vão se aprimorando cada vez mais e permitindo a aquisição de outros aspectos. Porém, essas aquisições não ocorrem de forma isolada, sem a interferência do meio, ou seja, é necessário que as pessoas que convivem com a criança, ofereçam as condições que favoreceram o desenvolvimento.

É muito importante considerar que as intervenções no contexto de desenvolvimento infantil devem ser realizadas o mais cedo possível, pois as principais conexões neuronais na criança ocorrem com maior eficácia até os 3 anos de idade. Geralmente as famílias costumam buscar orientação e tratamento quando as crianças ingressam na escola, pois neste momento os sintomas se tornam mais visíveis, através de dificuldades na escrita, na leitura, na capacidade de atenção e concentração, no aprendizado de forma geral. Isso não significa que as dificuldades não estavam presentes antes, pois todos estes aspectos do desenvolvimento na área escolar podem ter sua origem em estruturas de base, ou seja, em habilidades e capacidades que são desenvolvidas desde o nascimento.

Existem também as limitações associadas às condições genéticas (como síndromes), às lesões neurológicas, ortopédicas, aos transtornos do desenvolvimento e o Terapeuta Ocupacional trabalhará para maximizar as habilidades que a criança já possui, diminuir as dificuldades, e auxiliar na aquisição de novas habilidades, ou confeccionar dispositivos de tecnologia assistiva. A intervenção pode ser pautada em alguns aspectos específicos ou em uma combinação destes: Habilidades da criança; Adaptações nos materiais que a criança utiliza; Adaptações na forma de realizar as tarefas; Adaptações no ambiente físico (escolar ou domiciliar); Organização da rotina; Adaptações de atividades na escola; Orientação aos pais; Orientação aos professores.