Notas sobre a Psicanálise

Por Clin - Clínica Infanto Juvenil 11/08/2017 - 16:40 hs

Milene Mabilde Petracco

Psicóloga/Psicanalista - CRP: 07/13396

 

Diferentes áreas do conhecimento, através da contribuição de pensadores de orientação teóricas distintas, muito já se refletiu sobre a condição humana, sobre as formas possíveis de nos constituirmos como seres sociais, perpassados pelas relações que estabelecemos, pelos tempos históricos que vivemos, pela cultura.

A partir das descobertas feitas pela teoria psicanalítica, mais precisamente através de estudos desenvolvidos por pesquisadores como Sigmund Freud e Jacques Lacan, partimos do pressuposto da incompletude que nos funda enquanto sujeitos dependentes uns dos outros e também como sujeitos desejantes. Para os referidos autores, esta incompletude, longe de se configurar como um problema, é o que nos impulsiona a seguir adiante, promovendo o estabelecimento de relações, a invenção de novas possibilidades, a construção pensamentos e de ferramentas, a criação da vida em sua amplitude.

 

Nesta perspectiva, a Psicanálise anda contra a maré, ou seja, não se apresenta como uma via de soluções previamente traçadas e tampouco de desfechos rápidos para o sofrimento humano. Ao contrário do que vivemos na contemporaneidade, período no qual somos inundados a todo instante com a ilusão de uma felicidade que pode ser alcançada plenamente, rapidamente ou mesmo quimicamente, os caminhos da Psicanálise são tal qual uma travessia a ser descoberta a medida em que vai sendo desbravada. Um caminho que vai sendo construído a medida em que vai sendo vivido.Que demanda investimentos, disponibilidade e entrega. Mas que,ao contrário da ilusão da felicidade total, propagada a todo o tempo como se fosse um produto a ser comprado e consumido instantaneamente, traz resultados sólidos, consistentes e duradouros.