Polo Naval do Jacuí

Por Marcos Essvein 19/05/2017 - 17:01 hs
Polo Naval do Jacuí
Simon Heberle, Henrique Fontana e Rosângela Dornelles

Polo Naval do Jacuí

Durante a Marcha dos Prefeitos, a vereadora Rosângela Dornelles, o prefeito Simon Heberle e o vice-prefeito Edilon Lopes estiveram com o presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Indústria Naval, deputado federal Henrique Fontana (PT-RS), para que incluísse na pauta nacional o Polo Naval do Jacuí. Foi levado a ele um documento que relata toda a produção já realizada e ainda existente em solo charqueadense, que complementa a plataforma em construção em Rio Grande. Foi solicitado a Fontana que realize uma audiência pública em Charqueadas. O deputado se comprometeu, inclusive, de visitar o Polo do Jacuí e reafirmou a viabilidade de resgatar a presença do município neste cenário. “O Brasil precisa de novo ser incluído na pauta da indústria naval mundial”, disse Fontana.

 

A história mostra

A vaidade e o desejo de brilhar mais do que os outros, muitas vezes, impedem que grandes projetos sejam realizados na cidade por falta de articulação e união política. A assim como a emancipação de Charqueadas, a anexação do Horto Florestal ao município e a liberação da licença ambiental da Iesa Óleo e Gás, a assinatura do convênio para o videomonitoramento na cidade aconteceu somente por que entidades e lideranças políticas se articularam para que isso acontecesse. A história mostra que se os políticos não deixarem de pensar como um projeto poderá interferir nas urnas e quem será beneficiado em um pleito eleitoral, a cidade deixará de conseguir conquistas importantes. Agora é a vez da união pelo presídio federal.

 

Pronto atendimento pode fechar

Na sessão da Câmara de Vereadores de Charqueadas da última terça-feira, 16, a vereadora Rosângela Dornelles (PT) pediu informações à Secretaria da Saúde sobre a garantia de abertura do Hospital de Charqueadas, que hoje funciona como um pronto atendimento. A vereadora quer saber em qual etapa se encontra o projeto, valor investido, situação do alvará sanitário, valor custeado pelo Município para manter o local em atividade, custo de exames, funcionários contratados e terceirizados, situação da ala prisional e convênios que ainda não foram executados. A vereadora revelou que obteve informação, de fonte extraoficial, de que o pronto atendimento poderá ser fechado, antes mesmo que se torne um hospital.

 

Os eventos e os gastos

Os vereadores das bancadas do PP e SD pediram, na última sessão da Câmara de Vereadores de São Jerônimo, um relatório de despesas dos eventos do Verão 2017, carnaval e enterro dos ossos, detalhando os valores, forma de licitação e dotação orçamentária. Com ralação ao carnaval, o prefeito Evandro Heberle revelou em entrevista ao Portal de Notícias, no último mês de abril, que não ouve aumento de gastos em relação aos anos anteriores. Vereadores querem ver para crer.

 

Grenalização

É hora do pessoal tirar as camisetas dos partidos e pensar no Brasil. Grenalizar e tocar flauta é saudável (até certo ponto) quando o assunto é futebol. Na política isso não passa de burrice, pois quem paga a conta somos todos nós. Podemos morrer acreditando que só os outros são desonestos ou aproveitar o momento para uma mudança geral. Já perdemos essa oportunidade com o impeachment do Collor. Vamos perder de novo? Ler o artigo da deputada Zilá Btreitenbach (PSDB), nesta página, pode ser um começo.

 

Vice-prefeito Julião Cunha assume o Município

Durante essa semana, o prefeito Evandro Heberle esteve em Brasília para agilizar a liberação de recursos oriundos de emendas parlamentares e de projetos da Defesa Civil para o Município. Com isso, o vice-prefeito, Julio César Prates Cunha (Julião) assumiu como prefeito em exercício, ente os dias 15 e 19 de maio. Julião destaca a confiança, comprometimento e parceria existente entre ambos, além da grande sintonia no trabalho em favor da comunidade jeronimense.

 

Charqueadas fica de fora

A Segurança Pública do Rio Grande do Sul será reforçada com o apoio da bancada gaúcha no Congresso Nacional. Já se encontram nos cofres do Estado R$ 11 milhões, destinados através de duas emendas de R$ 5,5 milhões ao reaparelhamento da Polícia Civil e do Instituto-Geral de Perícias (IGP). Na Polícia Civil, o objetivo é estruturar delegacias especializadas em investigação de homicídios dolosos. Os municípios contemplados serão Porto Alegre, Canoas, Caxias do Sul, Passo Fundo, Pelotas, Alvorada, Gravataí, Viamão, Novo Hamburgo, São Leopoldo e Santa Maria. No IGP, a medida vai reaparelhar o órgão para o atendimento a locais de crime e incremento das atividades das sedes periciais.

Charqueadas, sede do maior complexo prisional da América Latina e que convive diariamente com toda sorte de problemas que o regime semiaberto provoca, não está nos planos do Governo do Estado. O Município, que não tem ao menos um delegado titular, continuará sem uma estrutura adequada para Polícia Civil atender essas demandas.