Apraxia de fala na infância

Dia 14 de maio: dia de conscientização da Apraxia de Fala na Infância

Por Clin - Clínica Infanto Juvenil 12/05/2017 - 16:00 hs

Rosely Farias Leote

Fonoaudióloga - CRFa 8709

 

Um dos momentos mais esperados pelos pais é quando os bebês aprendem a falar as primeiras palavras. Quando esses sons demoram a surgirem, alguns pais podem acreditar que o motivo é a timidez. Essa demora, no entanto, pode ser algo bem maior do que apenas vergonha.

Quando a criança apresenta atraso no desenvolvimento da linguagem ela pode ter apraxia de fala. O nome é complicado, mas a doença é mais comum do que  pensamos. Se comunicar parece algo tão natural para a maioria das pessoas, que chega a ser difícil compreender que podem existir dificuldades.

“Falar, na verdade, é uma habilidade altamente complexa e que depende de vários fatores”, confirma Elizabeth Giusti, fonoaudióloga infantil especialista em apraxia de fala.

De acordo com a especialista, apraxia na fala é um distúrbio neurocomportamental, que afeta a produção motora dos sons da fala. Nem sempre pode ser detectada por exames convencionais do cérebro, como ressonância e tomografia. Alguns sinais, entretanto, devem ser notados pelos pais, como a demora para balbuciar as primeiras palavras (depois dos 14 meses), dificuldade para imitar sílabas, ou mesmo o histórico familiar de apraxia. Mesmo assim, o diagnóstico é complexo.

Tratamento

Nesta época, os pais perceberam que Leonardo, o irmão de Sophia, também estava com apraxia e, finalmente, conseguiram vaga Avaliação com médico neuropediatra e a terapia com fonoaudióloga especialista para o tratamento de distúrbios da fala.

 

O tratamento, feito por meio de atendimento terapêutico individual em um ambiente tranquilo, também inclui a repetição de sons diversas vezes, retardar o discurso e diversas outras técnicas que ajudam na comunicação.